Adolescentes começam a beber cada vez mais cedo

Levantamento inédito da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) aponta que a idade média do início do consumo de bebidas alcoólicas pelos adolescentes é menor que a de jovens adultos. A pesquisa revela ainda que 35% dos jovens de 14 a 17 anos consomem bebidas alcoólicas uma vez por ano

Adolescentes e jovens adultos apresentam diferenças na idade média para começar a ingerir bebidas alcoólicas e no início do consumo regular. Essa é uma das conclusões do I Levantamento Nacional sobre os Padrões de Consumo de Álcool na População Brasileira.

Segundo a pesquisa, jovens de 14 a 17 anos começaram a beber, em média, com 13 anos e 9 meses, enquanto os adultos começam com 15 anos e 3 meses. Já os jovens de 14 a 17 responderam que iniciam o consumo regular de bebidas alcoólicas, em média, com 14 anos e seis meses, enquanto os maiores de 18 anos, com 17 anos e 3 meses.

Em um universo de adolescentes representativo das várias regiões do País e de áreas urbanas e rurais, quase 35% dos adolescentes menores de idade consomem bebidas alcoólicas ao menos 1 vez no ano. E 24% dos adolescentes bebem pelo menos 1 vez no mês.

O beber em grande quantidade com maior risco em um curto espaço de tempo, ou o beber em binge, é a prática que mais deixa o adolescente exposto a uma série de problemas de saúde e sociais. Os riscos vão desde acidentes de trânsito – o evento mais comum e com conseqüências mais graves – até o envolvimento em brigas, vandalismo e a prática do sexo sem camisinha.

Entre os meninos e meninas que já beberam 4 ou mais ou 5 ou mais doses (essa quantidade é estipulada internacionalmente para o binge) em uma única ocasião nos últimos 12 meses, metade o fez menos de 1 vez por mês. Por outro lado, 30% deles beberam em binge 2 vezes por mês ou mais. Assim, uma parte significativa dos adolescentes que bebem grandes quantidades apresenta tal comportamento com regularidade.

Quase metade dos meninos adolescentes que beberam no último ano consumiu 3 doses ou mais por situação habitual. Há diferenças entre meninos e meninas no que diz respeito à quantidade de álcool ingerida habitualmente. Quase um terço dos meninos que bebem consumiu 5 doses ou mais no último ano, contrastando com 11% para as meninas.

E 13% do total dos adolescentes apresentam padrão intenso de consumo de álcool. Além disso, outros 10% dos adolescentes consomem ao menos 1 vez no mês e potencialmente em quantidades arriscadas.

Aproximadamente, metade das doses consumidas por adolescentes é de cerveja ou chope. Para chegar a essa conclusão, cruzaram-se dados sobre a quantidade de doses consumidas de cada bebida e a freqüência com que são consumidas.

Os vinhos tiveram também uma participação importante, com mais de 30% das doses consumidas por adolescentes. Não houve nenhuma diferença significativa entre os gêneros no que diz respeito aos tipos de bebida (embora os meninos tivessem uma tendência a beber mais destilados do que as meninas.
Fonte: SENAD – OBID