Gastos com cigarro comprometem compra de alimentos básicos

Pesquisa feita pela Fundação Getúlio Vargas – FGV, revela que os cigarros aumentaram além da variação média do Índice de Preços ao Consumidor – IPC, e passaram a comprometer, em abril de 2007, 1,25% do orçamento familiar, enquanto o item arroz e feijão teve peso de 0,85%.

De acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares – POF, realizada no biênio 2002/2003, a despesa com arroz e feijão comprometia 1,30%, em média, do orçamento doméstico de famílias com renda entre 1 e 33 salários mínimos. Apontava também que o gasto com cigarro representava 1,03% do orçamento das famílias.

Segundo o levantamento da FGV, a partir de 2004, as variações anuais do arroz e feijão seguiram tendências opostas aos movimentos de preços dos cigarros. No primeiro caso, a fundação captou queda média de 20,35% nos preços no acumulado de janeiro de 2004 e abril de 2007.

No segundo, alta de 29,57%. Neste mesmo período, o IPC acumulou aumento de 15,92%

Na avaliação do coordenador do Índice de Preços da Fundação Getúlio Vargas, André Braz, o comprometimento do salário com o cigarro pode aumentar ainda mais: “Os índices de maio trazem os reajustes de preços de duas importantes indústrias, fato que deverá elevar os gastos”, afirmou. Os pesos de todos os produtos e serviços que fazem parte do IPC são corrigidos com base em sua própria variação e na variação média de todos os itens.
Fonte: JORNAL DA COMUNIDADE-DF – OBID