Cirrose Hepática e Pancreatite Crônica relacionadas à ingestão freqüente e excessiva de álcool

O alcoolismo se configura como um importante causador de doenças, principalmente as relacionadas ao sistema hepático. Duas importantes patologias que possuem o sistema hepático como fator etiológico são a Cirrose Hepática e a Pancreatite Crônica.

A cirrose hepática alcoólica é uma forma de dano permanente e irreversível ao fígado que leva a uma obstrução da passagem do sangue pelo órgão impedindo-o de realizar funções vitais como a purificação do sangue e a depuração dos nutrientes absorvidos pelo intestino. A pancreatite crônica ocorre, na grande maioria dos casos, em pessoas que ingerem uma grande quantidade de álcool diariamente por um período que varia entre cinco e doze anos. O órgão atingido é o pâncreas que apresenta calcificações, fibrose e outras alterações, formando cicatrizes.

Artigo publicado pelo Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, em 2007, avaliou a freqüência de Pancreatite Crônica em pacientes que desenvolveram Cirrose Hepática por consumo crônico e abusivo de álcool.

Foram examinadas 25 necropsias de pacientes portadores de cirrose hepática alcoólica no Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC/UFU), realizadas no período de janeiro de 1990 a dezembro de 2003.

Os resultados dos exames histopatológicos – exames que verificam as lesões orgânicas – explicitaram que 80% dos pacientes portadores de Cirrose Hepática Alcoólica possuíam Pancreatite Crônica leve, 52% moderada e 8% grave. Sendo que dos prontuários examinados 72% eram de homens e 28% de mulheres, com idades entre 24 e 83 anos cujo consumo médio diário de álcool foi de 155,3 g por um período aproximado de sete anos. Para o cálculo da ingestão de álcool puro os autores consideraram que para a cachaça, uma dose de 50 ml, uma garrafa de 660 ml e um litro da bebida, correspondem a 17 g, 220 g e 340 g de álcool, respectivamente. Para outros destilados como o conhaque, considerou-se a dose de 50 ml equivalente a 16 g de álcool puro; em relação à cerveja, cada garrafa de 660 ml contém 25 g de álcool.

Os autores concluíram que a Pancreatite Crônica está freqüentemente associada à Cirrose Hepática, ambas causadas de forma direta e /ou indireta pela ingestão etílica crônica e excessiva.

Texto resumido pelo OBID a partir do original publicado pelo Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, Rio de Janeiro, 43(2): 115-120, 2007. ISSN 1676-2444. Editado pela Sociedade Brasileira de Patologia Clínica, Sociedade Brasileira de Patologia, Sociedade Brasileira de Citopatologia.

Título Original: Prevalência da pancreatite crônica em pacientes portadores de cirrose hepática alcoólica: estudo histopatológico.

Leia o artigo completo aqui

Fonte:SANTOS, J. F. G.; ROCHA, A.; OLIVEIRA, L. C. M. – OBID