População apóia restrições às bebidas alcoólicas

Estudos mostram que mais de 12% da população brasileira é dependente de álcool. Justamente pelo fato de o consumo estar tão disseminado, medidas de combate têm ampla aceitação entre a população. “Muitas pessoas sentem de perto os prejuízos”, observa o ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

A aceitação é alta até mesmo para medidas restritivas. Boa parte da população aprova a regulamentação da propaganda de bebidas alcoólicas, a divulgação de mensagens mostrando os perigos da bebida e até mesmo propostas geralmente consideradas pouco populares, como o aumento dos impostos. Tais resultados foram revelados no 1.º Levantamento Nacional sobre os Padrões de Consumo de Álcool na População Brasileira, o mais completo estudo já feito no País.

Atualmente, bebidas de maior teor alcoólico já sofrem restrição da propaganda. Mas isso não atinge, por exemplo, a cerveja, hoje grande anunciante, sobretudo em horários nobres. Diante da movimentação, nos últimos anos, para o aumento das restrições, a indústria do álcool passou a veicular alertas para que se evite o abuso ou a associação de bebidas e direção. Para especialistas, no entanto, a medida é inócua. O que resolve mesmo é a redução da propaganda.
Fonte: O Estado de S. Paulo – OBID