Estudo liga hábito de fumar a um maior risco de desenvolver diabetes tipo 2

O hábito de fumar aumenta o risco de diabetes tipo 2, revelaram cientistas na revista médica Journal of the American Medical Association – Jama, nesta terça-feira, 11/12. O trabalho, liderado por Carole Willi, da Universidade de Lausanne, na Suíça, analisou diversos estudos que ligam o fumo a falhas no controle dos níveis de açúcar, o que gera o diabetes tipo 2.

Essa variação do diabetes é também ligada à obesidade e aparece, em maior número, em pessoas de mais idade. O diabetes tipo 1, que surge da deficiência na produção do hormônio insulina, que controla as taxas de açúcar, é mais comum em crianças.

Os dados analisados por Willi e sua equipe indicam que fumantes ativos têm um aumento de 44% no risco de apresentar diabetes tipo 2, em comparação com não-fumantes.

Outras análises indicam também que pode haver uma ligação entre a quantidade fumada e a doença: quem fuma muito – 20 cigarros ou mais ao dia – tem um risco 61% maior; enquanto quem fuma menos apresenta um acréscimo de 29% do risco. Ex-fumantes também apresentam aumento na probabilidade de ter a doença, de 23%.

Os pesquisadores acreditam que a relação entre o hábito e a doença existe, mas que serão precisos mais estudos para determinar se o fumo é uma causa direta de diabetes.

Há evidências de que isso acontece, já que é plausível, afirmam os cientistas, que o cigarro gere uma resistência ou uma resposta inadequada à insulina. No entanto, os cientistas alertam que o fumo também está ligado, em diversos casos, a pessoas sedentárias, que comem mal e consomem álcool –- todos fatores de risco já conhecidos para a doença –, o que poderia explicar esse elo.
OBID Fonte: G1 ONLINE