Gene agrava doença pulmonar em fumantes passivos, dizem pesquisadores

De acordo com os pesquisadores, a variação de um gene enfraquece as funções pulmonares e encurta o tempo de vida das pessoas que sofrem desta doença hereditária –caracterizada pela hipersecreção de um muco muito viscoso que bloqueia as vias dos órgãos afetados, podendo predispor a pessoa a infecções respiratórias mortais.

Os pacientes com uma variação do gene TGFbeta1 têm suas funções pulmonares duas vezes mais deterioradas quando são expostos ao tabagismo passivo do que aqueles que não o são, afirmam os autores, em estudo publicado no ´´Journal of the American Medical Association´´.

´´Sempre suspeitamos que o tabagismo passivo era nocivo para as pessoas que sofrem de doenças pulmonares. Agora apontamos para um gene específico cuja variação agrava o estado destes pacientes´´, ressalta o Garry Cutting, professor de Pediatria e de Medicina da Universidade Johns Hopkins, de Baltimore (EUA).

´´Estamos verdadeiramente surpresos de que uma variação genética tão fraca possa dobrar os efeitos nefastos do tabagismo passivo sobre as funções pulmonares destes pacientes´´, acrescentou.

Segundo Cutting, o tabagismo passivo equivale para estes indivíduos a um perda de sete anos em suas funções pulmonares.
Autor: Últimas Notícias
OBID Fonte: UOL Estilo Saúde