Convite à Juventude

Narra-se que, entre a Judéia e a Síria, na cidade de Sebastes, também chamada a “Rainha do Ponto”, pelos anos trezentos, 40 jovens deram sua vida por amor à verdade.

Eram todos legionários e cristãos. Recrutados pelas ordens romanas.

Vestiam os uniformes, os capacetes e as capas vermelhas. Em seus corações, porém, serviam a Jesus, e somente a Ele.

Muito antes que as vozes de Roma se fizessem ouvir, nas ordens de recrutamento, eles haviam acedido, vindos de variadas partes do globo, à doce voz do Rabi Galileu.

Porque as perseguições se fizessem intensas, reuniam-se às escondidas em local ermo e abandonado.

Após o recrutamento, raramente podiam estar todos juntos, ao mesmo tempo, pois que diferentes eram os dias das suas folgas.

Mas não descuidavam do estudo dos ditos do Senhor e dos Atos dos Apóstolos, das epístolas de Pedro e Paulo.

Serviam na Décima Segunda Legião todos eles.

Um dia, uma denúncia anônima os colocou frente a um teste terrível.

Para salvar suas vidas deveriam oferecer sacrifícios ao deus Júpiter. Porque se recusassem, receberam a pena máxima.

Desejosos seus superiores que suas mortes servissem de lição a outros ou quem sabe, com o intuito de que fraquejassem e voltassem atrás em sua decisão, escolheram uma forma lenta de agonia para eles.

Foram conduzidos até a beira de um lago, cujas águas frias tornavam-se geladas nas noites de inverno.

Ao som dos tambores, os quarenta jovens perfilados, robustos na sua fé, avançaram para o lago. A água foi lhes chegando às virilhas, depois às cinturas, finalmente aos ombros.

Foram horas e horas de imersão nas águas negras e salgadas. A chama da fé os aquecia ao ponto de cantarem.

E o canto era como uma cascata de esperanças feita em sons de ternura e renúncia.

Na madrugada, um a um, eles foram morrendo, hirtos de frio, congelados.

Lembrando os legionários, heróis da fé, recordamos da mocidade dos dias atuais.

Observando tantos moços a descerem pelas ladeiras escuras do vício e da desesperança, pensamos na mensagem do Cristo que se dirige, esperançosa e viva a todos os homens.

Muito poderiam esses jovens, se portassem Jesus em suas vidas, desde que dispõem da agilidade mental, do vigor físico, de energias!

Crescer para a luz, e na sua ascensão, arrastar outros tantos, pois toda vez que um homem se ergue no Mundo, centenas se erguem com ele.

* * *

Jovem! Ouve a mensagem de Jesus que te chega, límpida e pura e afeiçoa-te ao bem.

Não permitas que passe o tempo e fujam as horas. Enquanto a juventude canta em teu corpo, estuda e trabalha. Executa tarefas no bem, semeia luzes em tuas veredas.

Mais tarde, as haverás de perceber como estrelas luminescentes que aclararão os dias da tua madureza e da tua velhice.
Fonte: Momento Espirita(www.momento.com.br), com base no cap. XXVIII do livro Esquina de pedra, de Wallace Leal Rodrigues, ed. O Clarim.