Mais de 100 mortos

Comerciantes queimaram pneus e fecharam o trânsito da rodovia

Balanço parcial divulgado pelo Ministério da Justiça revelou que, até as 18h de ontem, 112 pessoas já haviam morrido nas estradas federais. Os estados com as malhas viárias mais extensas do país — Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro — concentram o maior número de acidentes fatais. Ontem, o diretor do Departamento de Polícia Rodoviária Federal (PRF), inspetor Hélio Cardoso Derenne, avaliou que a Operação Carnaval ajudou a diminuir os acidentes graves. “Em seis dias, batemos o recorde de veículos fiscalizados e de emissão de autos de infração. Certamente ajudamos a salvar muitas vidas”, disse o inspetor.

Derenne demonstrou preocupação com o possível aumento no número de acidentes na volta do feriadão, já que choveu bastante na quarta-feira de cinzas, principalmente no Sudeste. No Rio de Janeiro, que tem mais de 200 pontos críticos na malha viária, a chuva caiu por três horas. Segundo a PRF no estado, mais de 1 milhão de veículos saíram e entraram no Rio, somente ontem. Por conta da expectativa em relação às estradas cariocas, o inspetor Derenne foi pessoalmente conferir a fiscalização na Rodovia Presidente Dutra.

Um dos acidentes mais graves ocorreu em Minas Gerais. Uma colisão entre dois carros matou quatro pessoas na altura do quilômetro 756 da BR-040, que liga Minas Gerais ao Rio de Janeiro. O acidente aconteceu próximo à cidade de Ewbank da Câmara. De acordo com a PRF, a chuva forte que caía na região fez com que o motorista de um Escort perdesse o controle da direção, invadindo a contramão e batendo de frente em outro carro.

Segundo a polícia, todos os ocupantes do Escort morreram na hora, e os três passageiros do outro veículo foram levados para um hospital de Juiz de Fora. Também em Minas, duas pessoas morreram após o caminhão onde estavam bater de frente com outro caminhão, na altura do quilômetro 439 da BR-116, em Engenheiro Caldas.

Segundo o mais recente balanço divulgado pela Polícia Rodoviária de Minas Gerais, nas estradas administradas pelo governo estadual, ocorreram 342 acidentes com 24 mortes e 313 feridos só em três dias de carnaval. No mesmo feriado de 2007, foram 324 acidentes, com 33 mortes e 390 feridos. Houve aumento no número de acidentes, mas redução na quantidade de mortos e feridos.
Os inspetores da Polícia Rodoviária Federal ainda não sabem avaliar se a medida provisória que proíbe venda de bebidas alcoólicas nas estradas reduziu o número de acidentes. Apesar de a MP valer nas estradas federais de todo o país, a Justiça concedeu 32 liminares para estabelecimentos venderem todo tipo de bebida em seis estados (RS, SC, DF, RN, SP e RJ). As decisões beneficiam apenas os comerciantes que contestaram a medida.

Protesto na BR-060

O trânsito na BR-060 foi interrompido ontem por 60 comerciantes de Alexânia (GO). O grupo fez uma barricada com pneus e ateou fogo no material nos dois sentidos da via. O protesto, que começou às 9h e durou cerca de uma hora, foi contra a medida provisória que proíbe a venda de bebidas alcoólicas às margens das estradas federais em todo o país. Quem teve de pegar a rodovia pela manhã se deparou com uma enorme nuvem de fumaça e um engarrafamento de 2km nos dois lados da pista. O trânsito só foi liberado com a chegada da PRF.

Depois de 30 minutos de queima de pneus, motoristas que tentaram desobstruir a via e furar o bloqueio foram impedido pelos manifestantes. A PRF foi chamada para abrir caminho.

O comerciante Marcos Santos, organizador do protesto, alegou que a medida prejudica os donos de estabelecimentos. “O governo tem é que aumentar a fiscalização nas estradas e não impedir a venda de bebida, argumentou. Marcos foi multado em R$ 1,5 mil por desobedecer a medida e em R$ 300 por não ter afixado em seu restaurante o cartaz informando sobre a proibição.
Autor: Ulisses Campbell/Hercules Barros
OBID Fonte: Correio Braziliense-DF