Uso combinado de remédios pode matar

Caso de ator australiano Heath Ledger, que morreu de overdose ao ingerir coquetel de medicamentos, serve de alerta

A ingestão combinada de remédios sem a devida prescrição médica pode gerar graves problemas à saúde e até a morte. Casos recentes de falecimento por esse motivo, como o do ator australiano Heath Ledger, nos Estados Unidos, e do lutador de vale-tudo Ryan Grace, no Rio de Janeiro, são um alerta para os riscos dos coquetéis medicamentosos e a automedicação.

Professor do departamento de clínica médica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o geriatra Flávio Chimowicz explica que um medicamento pode alterar, potencializar ou anular o efeito de outro. O ajustamento das diversas substâncias que compõem as drogas acontece quando o médico avalia o paciente e toma ciência de todas os remédios que ele toma. A dosagem errada de alguma substância também pode alterar o efeito do coquetel.

´´Na hora de prescrever um medicamento, o médico sempre pergunta ao paciente se ele está fazendo uso de algum outro tipo de remédio. A colaboração do paciente é não omitir nenhuma informação, para que o médico saiba qual será a interação medicamentosa correta´´, disse o professor.

Alguns antidepressivos, conforme exemplificou o clínico geral Oswaldo Fortini Coelho, presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, regional Minas Gerais, podem causar queda da pressão arterial. Se forem combinados com remédios para hipertensão, podem ocasionar desmaios, pois esse segundo também baixa a pressão. Outro exemplo são os anticoagulantes, que, se tomados juntamente com aspirina, podem causar hemorragia.

´´As pessoas não devem fazer uso de nenhum remédio que não seja prescrito, mesmo aqueles que são vendidos sem receita, pois esses usuários são leigos e não sabem a ação dos remédios´´, aconselha Coelho. Segundo ele, os idosos, cardiopatas, diabéticos e hipertensos são os pacientes que, geralmente, fazem uso de um número maior de remédios de uma só vez.

Abuso

Ledger foi encontrado morto no dia 22 de janeiro, em seu apartamento de Nova York e faleceu por causa de abuso de medicamentos, entre eles analgésicos e tranqüilizantes, segundo os médicos. Já o lutador de jiu-jitsu Ryan Gracie, que havia sido preso no dia 14 de dezembro em São Paulo, foi encontrado morto no dia seguinte em uma cela no 91º Distrito Policial. Ele teria ingerido drogas, aliado aos medicamentos ministrados por um psiquiatra.

GRAEF

O geriatra e professor da UFMG Flávio Chimowicz

Automedicação é causa da maioria das intoxicações

Segundo dados do Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais (CRF), 80% dos casos de intoxicações registrados nos hospitais de Belo Horizonte são causados por ingestão equivocada de medicamentos. O presidente do conselho, o farmacêutico e bioquímico Benício Machado de Faria, disse que a falta de informação é a principal causa do problema. “O perigo está dentro de casa, nas farmacinhas particulares de cada família. As pessoas devem parar de se automedicarem e pedir ajuda e orientação para os médicos e farmacêuticos”, afirma ele.

O uso de medicamento industrializado, aliado às drogas, sejam elas lícitas ou ilícitas, também pode causar estragos à saúde. “A mistura de calmantes com bebida alcoólica gera alucinação. É importante as pessoas terem noção desse perigo para não misturarem nenhuma substância sem orientação”, alerta Benício Faria.
Autor: Carolina Coutinho
OBID Fonte: O Tempo-MG