Globalização das drogas desafia a segurança pública

Debate sobre segurança pública e drogas reunirá especialistas estrangeiros, ministros e 27 secretários de segurança no Rio de Janeiro de 26 a 27 de fevereiro.

Mais de 200 milhões de pessoas no mundo, com idade entre 15 e 64 anos, consumiram alguma droga ilícita em 2007, o equivalente a 5% da população mundial. Números como esses do Relatório do Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crimes (UNODC) mostram que a problemática das drogas está globalizada.

Para saber o impacto real dos problemas das drogas na segurança pública mundial, estarão reunidos nos dias 26 e 27 de fevereiro, no Rio de Janeiro, autoridades, secretários de segurança, especialistas e legisladores nacionais e internacionais.

Promovido pela Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD), a Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP), o Departamento de Polícia Federal e o Senlis Council – grupo de reflexão internacional especializado em políticas de segurança pública e drogas -, o Simpósio Internacional de Segurança e Políticas Públicas sobre Drogas será dividido em três sessões: Segurança Pública e Temática das Drogas; Narcotráfico e Segurança Internacional e Juventude e Narcotráfico. A conferência de abertura será realizada pelo secretário adjunto de Segurança Multidimensional da Organização dos Estados Americanos (OEA), o mexicano Abraham Stein, especialista em programas de prevenção às drogas no continente americano.

Na primeira sessão o presidente do Comitê da União Européia para o Parlamento de Portugal, Conselheiro Sênior do Senlis Council, Vitalino Canas, o Secretário Nacional Antidrogas da SENAD, Paulo Roberto Uchoa, e o diretor geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, vão discutir o impacto que a problemática das drogas tem no dia-a-dia das atividades de segurança pública e quais os caminhos que estão sendo adotados para a minimização do problema. Também participarão dos debates o presidente da EuroJust, Unidade de Cooperação Jurídica da União Européia, Lopes da Mota, e o secretário honorário da Interpol, o inglês Raymond Kendall.

Já o tema Narcotráfico e Segurança Internacional abordará o tráfico de drogas no mundo e os crimes conexos. Os palestrantes apresentarão os riscos que as organizações criminosas oferecem para a segurança regional, hemisférica e global, além das redes e conexões criminosas em operação no mundo e as ações de combate adotadas por diferentes países. Entre os participantes estarão o diretor executivo do Senlis Council, Emmanuel Reinert, o fundador do Instituto de Políticas Públicas sobre Drogas da Colômbia, Francisco E. Thoumi, membro do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, Sócio Sênior de Diplomacia de Conflito e Defesa do Reino Unido, Christopher Langton, e o ex-comissário de narcóticos da Índia, Romesh Bhattacharji.

Na última sessão, os palestrantes irão abordar o consumo e o tráfico de drogas na perspectiva social, assim como os aspectos legais e os fatores de risco e proteção para a juventude. A mesa será composta pela secretária-adjunta da SENAD, Paulina Duarte, pelo professor da Universidade Federal da Bahia, Antonio Neri Filho, pela fundadora e coordenadora de NUPEVI (Núcleo de Pesquisa das Violências), Alba Zaluar, pelo juiz Tribunal de Justiça do RJ, Joaquim Domingos de Almeida Neto, e pelo representante especial da Cruz Vermelha sobre Política Humanitária de Drogas, Conselheiro Sênior do Senlis Council, Oscar Zuluaga.

Evento: Simpósio Internacional de Segurança e Políticas Públicas sobre Drogas
Data: 26 e 27 de fevereiro, a partir das 9h.
Local: Hotel Sofitel, Rio de Janeiro
Autor: Profissionais do Texto Assessoria de Imprensa
Fonte: Senad