Pacote contra uso de drogas

Cursos de capacitação estão incluídos entre as novas medidas.

O ministro da Justiça, Tarso Genro, lançou na sexta-feira, seis projetos de prevenção ao uso de drogas lícitas e ilícitas. O anúncio foi feito durante cerimônia na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.

Um dos projetos dá impulso a uma pesquisa que apontará o impacto do uso de drogas e álcool no trânsito brasileiro. No estudo sobre os motoristas, será pesquisada a taxa de álcool no sangue em motoristas privados, transportadores de carga e passageiros, por amostragem.

Além disso, será estimada a associação entre ingestão de álcool e drogas ilícitas em acidentes de trânsito nas principais capitais e os custos econômicos que isso acarreta. A pesquisa será desenvolvida em conjunto com a Universidade Federal de Ciências da Saúde.

Dos projetos, quatro são de capacitação de agentes da sociedade contra as drogas. Um deles capacitará 60 mil conselheiros comunitários municipais para atuar na prevenção da violência originada do uso de drogas. Os alunos serão representantes, nas regiões metropolitanas, do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci). O investimento é de R$ 6 milhões.

O segundo curso, no qual serão investidos R$ 10,4 milhões, capacitará, à distância, 20 mil líderes religiosos para atuar no mesmo tipo de prevenção. O terceiro se destina a advogados, juízes, promotores, policiais, assistentes sociais, psicólogos e profissionais que lidam com a aplicação de penas para usuários de drogas ilícitas. Eles terão orientações de como aumentar o cumprimento de penas alternativas e evitar a reincidência.

O quarto curso se destina a projetos municipais, nos quais serão investidos R$ 11,5 milhões.

– Só projetos de prevenção conseguem, a longo prazo, reduzir de fato a criminalidade – justificou Tarso.

Regras para comércio de bebidas podem mudar

Entre as propostas do ministro está a ampliação do horário do Viva Voz, central telefônica gratuita com orientações sobre drogas, para até a meia-noite – o serviço funcionava até as 20h pelo telefone 0800-5100015. Serão investidos R$ 10,7 milhões.

Tarso confirmou que a Lei Seca nas estradas pode sofrer adequações. Uma das mudanças em estudo é que a proibição do comércio de bebidas às margens das rodovias federais se restrinja a estabelecimentos que vendam para consumo imediato – livrando, por exemplo, os que vendem bebida embalada.
Autor: Geral
OBID Fonte: Diário Catarinense – SC