Nota eletrônica começa a valer

Site que compara tarifas entra no ar no Ceará, a NFe (Nota Fiscal Eletrônica) deve gerar incremento de arrecadação para o Estado da ordem de R$ 30 milhões, por ano

Nova mudança no fisco estadual. A partir de hoje, 66 empresas cearenses fabricantes e distribuidoras de cigarros e de combustíveis passam a registrar suas vendas em NFe.

A exigência vale para transações em todos os Estados, inclusive nas operações de venda interestaduais, e vai atingir, inicialmente, cerca de cinco mil empresas em todo o País.

Ontem mesmo, porém, 11 empresas do Ceará já começaram a registrar as vendas por meio eletrônico, deixando para trás o modelo de emissão da nota fiscal em papel. A NFe é um registro feito pelas empresas em seus sistemas de faturamento, transmitido pela internet e autorizado eletronicamente pelas Fazendas Estaduais e Receita Federal.

No Ceará, a mudança deve gerar incremento de receita para o Estado da ordem de R$ 30 milhões, somente com a tributação aplicada sobre as distribuidoras de combustíveis, que contribuem, atualmente, com cerca de R$ 350 milhões, ao ano. “Esse setor deve gerar incremento (de arrecadação) da ordem de 10%a 15%, a partir da nota eletrônica”, estimou o secretário Estadual da Fazenda no Ceará, Mauro Filho.

Para ele, além de ampliar a arrecadação e reduzir os riscos de sonegação, a NFe vai permitir às empresas reduzirem custos de arquivamento de notas, livros e demais documentos contábeis, já que tudo passa a ficar registrado em arquivos eletrônicos. “A NFe vai dar maior agilidade às empresas no uso das informações contábeis e fiscais, melhorando o gerenciamento”, destacou Mauro.

Novos setores

A partir de setembro próximo, fabricantes de automóveis, de cimento, de medicamentos, frigoríficos, fabricantes de ferro-gusa, laminados, bebidas e siderúrgicas também deverão aderir ao novo sistema. Em janeiro de 2009, lembra Mauro Filho, será a vez das pequenas e micro empresas aderirem. Conforme disse, o Estado irá conceder “gratuitamente” às microempresas, o software que gera a NFe.

Autor: Editoria Negócios
OBID Fonte: Diário do Nordeste – CE