Estudantes são beneficiados com o Proerd

A Prefeitura de Amarante do Maranhão e o comando do 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM) lançaram oficialmente, na semana passada, o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd). Inicialmente, 200 alunos serão atendidos pelo programa, mas a expectativa é de que até o fim do ano o número aumente.

O lançamento do Proerd, numa solenidade simples, faz parte de uma estratégia da Polícia Militar para a prevenção e o combate às drogas na região. No caso de Amarante, o lançamento é estratégico por se tratar de um município com área que abriga aldeias indígenas (cerca de 70% da população do município são de índios) onde o cultivo de maconha é comum e parte dela acaba sendo vendida para traficantes locais e regionais.

O programa divulga, por meio de cartilhas e palestras realizadas sempre por oficiais da PM, informações importantes para ajudar os colegiais a resistirem ao apelo de traficantes de drogas.

O secretário municipal de Educação, João Batista Franco Neto, disse que o município estava preocupado com o avanço das drogas e, ao manter contato com o comando regional da PM sediado em Imperatriz, descobriu que a instituição também estava preocupada com o problema e tinha planos para lançar o programa.

João Batista adiantou que, inicialmente, apenas 200 dos mais de 12 mil estudantes distribuídos pelas 127 escolas da rede municipal serão incluídos no programa, mas a previsão é de que esse número aumente com o decorrer do tempo.

O funcionário também aproveitou a ocasião para tentar explicar denúncias sobre as condições precárias de uma escola existente na zona rural. A casa que serve de escola é apenas uma sala cujas paredes foram construídas em taipa, o piso de chão é batido e não há banheiro.

O secretário disse que a presença de alunos de várias séries juntos, processo que ele chamou de seriado, se dá devido existir apenas três ou quatro alunos de uma série só e para economizar espaço e professor.

Autor: Editoria Estado
OBID Fonte: O Estado do Maranhão – MA