fbpx

Palestras informam sobre efeitos das drogas e tratamentos

O curso de Capacitação de Agentes Multiplicadores para Prevenção ao Uso de Drogas, realizado numa parceria entre a Polícia Civil, através da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise), o Conselho Municipal sobre Drogas (Comad) e a Fundação Ubaldino do Amaral (FUA) recebeu mais dois palestrantes na manhã de ontem (08).

O médico João Nazareno Pedroso de Oliveira e a assistente social Sonia Borges Depieri, ambos do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), trouxeram aos participantes informações aprofundadas sobre as especificidades de cada droga (lícita e ilícita), as alterações que provocam no organismo e alternativas para tratar o dependente visando sua recuperação.

O médico João Nazareno destacou, em sua palestra, as principais características dos entorpecente mais usados no Brasil, como as drogas estimulantes do sistema nervoso central (como nicotina e cocaína), depressoras (como álcool e hipnóticos) e perturbadoras (como maconha, plantas e cogumelos), alertando também para os sintomas que o consumo das mesmas provoca no organismo humano, que vão desde alterações de percepção e comportamento até alucinações auditivas, visuais e de tato.

O consumo da maconha, por exemplo, provoca alteração da percepção de tempo e espaço, o que é um grande risco para pessoas que estejam dirigindo veículos. Infelizmente no Brasil ainda não existem índices sobre acidentes provocados pela maconha, só pelo álcool, falou.

Para o médico, a preocupação com as drogas não está somente no fato destas causarem dependência. Há o que chamamos de abuso, que independe da pessoa ser dependente ou não. O uso da droga, seja por uma única vez, causa sintomas e efeitos no organismo que podem provocar mudança drástica de conduta ou comportamento – o que faz com que uma pessoa cometa crimes ou violência, por exemplo – acidentes, problemas cardíacos, neurológicos e pulmonares e até a morte, explicou.

A assistente social Sonia Depieri falou sobre sua experiência de trabalho com adolescentes usuários de drogas, bem como sobre a trajetória que estes jovens percorrem até atingir o uso abusivo.

Não existe perfil de raça, cor, classe social e nem sócio-econômica que determine se alguém poderá ou não se envolver com drogas, falou Sonia, destacando que o grande erro nos tratamentos está na generalização dos casos. Cada pessoa é uma pessoa e precisa de um atendimento individualizado. É preciso criar no jovem, que teve motivação para começar a usar drogas, uma motivação ainda maior para que este consiga deixar o vício.

A assistente social acredita que o envolvimento da família é essencial para a recuperação do usuário e que as ações do Estado ainda mostram-se aquém das reais necessidades dos viciados em entorpecentes para uma recuperação de sucesso. O assunto drogas ainda não é tratado, pelo poder público, com a seriedade que merece.

O curso de Capacitação de Agentes Multiplicadores para Prevenção ao Uso de Drogas, que é parte da campanha Seja Usuário da Vida – As drogas estão mais perto que você pensa – promovida pelo Jornal Cruzeiro do Sul, Fundação Ubaldino do Amaral (FUA) e Rádio Cruzeiro FM (92,3 MHz) – continua hoje, com palestra do professor Benedito Roque da Silveira sobre o tema Educação Preventiva Integral.

Autor: Cruzeiro do Sul – SP
OBID Fonte: Cruzeiro do Sul – SP