Gorduras e álcool são perigosos

Nas mulheres, os quilos a mais estão ligados ao aparecimento do câncer de mama, o mais freqüente entre elas.

O excesso de gordura no corpo produz matéria-prima abundante para a geração de hormônios que alimentam o tumor. De acordo com a nutricionista Luciane Cruz, o consumo de gorduras deve ficar entre 25% e 30% do volume total de alimentos consumido por dia.

– As pessoas devem retirar sempre a gordura visível das carnes e a pele do frango antes do preparo. Na hora de comprar os alimentos, prefira os que contenham a indicação “livre de gorduras trans” e os com baixos teores de gorduras saturadas – orienta a nutricionista.

O consumo regular de álcool também é um fator de risco, especialmente para os cânceres de cabeça, pescoço, boca, faringe, laringe, esôfago, fígado, intestino, reto e mama. No aparelho digestivo, o álcool agride diretamente as mucosas.

Segundo Luciane, os efeitos são potencializados se o álcool estiver associado ao cigarro. Seus componentes afetam os tecidos do corpo e diminuem no sangue os níveis de ácido fólico, também conhecido como vitamina B9, essencial no processo de divisão celular.

O consumo de carnes processadas (como salsicha, lingüiça ou salame italiano) pode aumentar os riscos de câncer de estômago e intestino. Esses alimentos contêm nitratos, aditivos químicos utilizados para dar coloração vermelha às carnes. No estômago, eles podem desencadear a produção de agentes cancerígenos.
Autor: Edição do Dia
OBID Fonte: Diário Catarinense