Blitz da lei seca reduz acidentes na BR-040

Os acidentes na BR-040, saída para o Rio de Janeiro, caíram pela metade no primeiro final de semana de operação intensiva para fazer “lei seca” nas BRs. Segundo o chefe do Núcleo de Policiamento da 1ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Belo Horizonte, inspetor Valdinei Jacinto, a média de acidentes entre o KM 544 (viaduto da Mutuca) e KM 570 chegam a 20 de sexta a domingo.

“Estou monitorando e não chegamos a dez acidentes até a tarde de hoje (ontem)”, afirmou. No trecho há concentração de bares e nas proximidades há muitos condomínios.

As blitz montadas para coibir principalmente o uso de bebidas alcoólicas na direção contabilizaram dez flagrantes de infração à nova lei. Na madrugada de ontem quatro pessoas tiveram sua carteira de habilitação apreendida por falharem no teste do etilômetro. Dois deles foram conduzidos para a delegacia de trânsito do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran/MG) e responderão a processo criminal além do administrativo.

Um dos condutores foi encaminhado por apresentar teor de álcool acima do máximo permitido. Já o segundo motorista não estava com concentração excessiva, porém não era habilitado. “Além de dirigir sem carteira, que é crime, o cidadão estava alcoolizado. Nesse caso, também vai responder na Justiça”, informou Jacinto. Na última sexta-feira, a operação batizada de Grau Zero flagrou seis condutores alcoolizados e apenas um estava acima do limite caracterizando crime de trânsito.

Curiosamente, pessoas que estavam em um restaurante próximo à barreira de fiscalização da PRF na BR-040, na altura do KM540, desciam a pé para se submeter voluntariamente ao teste do etilômetro. Os policiais atendiam ao pedido e perceberam que os acoolizados após os resultados positivos optavam por voltar de táxi para casa. “Entre os 30 testes que realizamos na madrugada de hoje (ontem), cerca de dez foram em pessoas que chegavam sem carro. Depois, perguntavam: passei?”, contou Jacinto.

O inspetor considerou o movimento de pessoas na região baixo, o que ele atribui, em parte, à informação de que a fiscalização seria rigorosa naquela localidade. Outra característica diferente observada pelos agentes foi a alta concentração de táxis nos arredores. “Isso foi positivo. Muito táxi circulando”, declarou.

O cerco aos motoristas continuará. Desde o último sábado, os policiais de Minas começaram a submeter todos os condutores envolvidos em acidentes nas saídas das BRs 381 e 040 ao teste do etilômetro.
Autor: Flávia Martins y Miguel
OBID Fonte: O Tempo – MG