Atendimento a vítimas de acidentes de trânsito em SP cai 19% com lei seca

Um levantamento realizado pela Secretaria Estadual de Saúde em três importantes hospitais localizados na cidade de São Paulo aponta queda de 19% no número de atendimentos prestados às vítimas de acidentes de trânsito na vigência da lei seca.

A chamada Lei Seca, que prevê maior rigor contra o motorista que ingerir bebidas alcoólicas, foi sancionada, no dia 19 de junho. A nova lei torna ilegal dirigir com concentração a partir de dois decigramas de álcool por litro de sangue. A punição para quem descumprir a lei prevê suspensão da carteira de habilitação por um ano, além de multa de R$ 955 e retenção do veículo.

O governo estadual utilizou como base para elaborar as estatísticas dados obtidos junto aos três hospitais, que são referência para tratamento de traumas provocados por acidentes de trânsito –Hospital das Clínicas, localizado na zona oeste; o Hospital Regional Sul, em Santo Amaro (zona sul) ; e o Hospital Estadual do Mandaqui, na zona norte.

Os dados nos três hospitais compararam os atendimentos realizados nas sextas, sábados e domingos dos dois últimos finais de semana de junho; portanto, dias 20, 21 e 22, e dias 27, 28 e 29.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, em dois hospitais houve queda 27% no comparativo dos dois finais de semana. No Hospital das Clínicas passou de 33 para 24 atendimentos e no Hospital Regional Sul passou de 36 para 26.

No hospital responsável pela maioria dos atendimentos, o Mandaqui, houve um pequeno declínio. Passou de 45 para 42, queda de 6% no período.

Em nota, o secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata, afirma que a informação prestada aos motoristas a respeito da nova legislação podem vir a desestimular a prática de beber antes de dirigir.

Blitze
O cerco da Polícia Militar aos motoristas alcoolizados vai aumentar neste fim de semana — blitze simultâneas ocorrerão nas regiões central, leste, oeste, sul e norte, segundo a PM. As ações para fiscalização da lei seca ocorrerão principalmente amanhã à noite e na madrugada de domingo, com blitze em 28 pontos e com a participação de cerca de 300 policiais militares no período.

Em declaração dada esta semana o delegado Tabajara Novazzi Pinto, diretor da Academia de Polícia, afirma que a lei seca para motorista é malfeita. Segundo ele, o problema da lei é que o motorista não tem a obrigação de fazer o teste do bafômetro, nem o exame de sangue ou o teste clínico que pode determinar se ele consumiu álcool.
Autor: Com informações do Agora e Folha de S.Paulo
OBID Fonte: Folha Online