Tabagismo e má alimentação estão entre as principais causas de infartos

Além de aumentar o risco de câncer, o hábito de fumar é apontado pelos cardiologistas como um dos principais responsáveis pelo infarto em jovens. Se além de fumar, a pessoa tem uma alimentação rica em gordura e não tem o costume de praticar atividade física, o risco de uma doença cardíaca torna-se muito grande.

Além desses três fatores de risco, o cardiologista Christiano Barros, 34 anos, aponta ainda o histórico familiar, a diabetes e a hipertensão como causas que aumentam as chances de um infarto. Ele lembra que de todos esses fatores, somente o histórico familiar não tem como evitar.

Nesse caso, a recomendação é prevenir. “Quem tem histórico de infarto na família pode diminuir as chances de passar por isso também se levar um estilo de vida saudável.” Segundo Barros, isso significa não fumar, praticar atividade física com regularidade e ter uma dieta balanceada, pobre em gorduras e frituras.

O cardiologista Plínio de Almeida Barros Neto, 31 anos, cita um estudo feito na Grécia com infartados abaixo de 35 anos, que aponta que 95% dos jovens que tiveram o problema eram fumantes. De acordo com o trabalho, não largar o cigarro pode triplicar o risco de um novo infarto.

A obesidade infantil é algo que também deve ser levado a sério na opinião do médico. Ele lembra que as crianças estão ficando obesas cada vez mais cedo, por isso estão sofrendo com doenças coronárias na juventude. “Nesse caso, o fator de risco começa na infância. A pessoa vai colher os frutos ruins depois de 20 ou 25 anos, enquanto ela ainda é jovem”, destaca.

Esse aspecto tem preocupado tanto que no mês passado, quando comemorou-se o Dia Nacional do Coração, Christiano Barros, que é presidente da Sociedade Paulista de Cardiologia – Regional Bauru, decidiu realizar palestras em escolas municipais e estaduais com alunos entre 10 e 17 anos para tratar exatamente desse assunto. “É uma idade em que se começa a criar os hábitos que vão durar a vida toda. Por isso, escolhemos essa faixa etária”, explica.

O uso de drogas é outro hábito que tem se disseminado entre os jovens, e segundo Plínio favorece a ocorrência de infartos. De acordo com ele, as drogas levam à formação de placas nas artérias, contraem a veia e ajudam a formar

coágulos. São fatores que influenciam diretamente no desenvolvimento de uma situação que pode levar ao infarto.

Casos de infartos registrados em Bauru

2007
20-29 anos = 1 caso
30-39 anos = 4 casos
40-49 anos = 15 casos

2006
20-29 anos = 1 caso
30-39 anos = 2 casos
40-49 anos = 21 casos

2005
20-29 anos = 2 casos
30-39 anos = 3 casos
40-49 anos = 16 casos

2004
20-29 anos = 1 caso
30-39 anos = 9 casos
40-49 anos = 21 casos

2003
20-29 anos = 1 caso
30-39 anos = 10 casos
40-49 anos = 21 casos

Fonte: Secretaria Municipal de Saúde
Autor: Adilson Camargo
OBID Fonte: Jornal da Cidade – Bauru – SP