5 em mil são usuários de crack

A cada mil habitantes do Estado, em média cinco são usuários de crack. Um levantamento está sendo realizado nos municípios gaúchos, mas dados preliminares indicam que pelo menos 50 mil pessoas, grande parte crianças e adolescentes, tornaram-se vítimas da droga nos últimos anos. O crescimento assusta, sobretudo, pelo fato de que até 1997 não existiam registros de casos de crack no RS.

Os dados são da Secretaria Estadual da Saúde (SES), que lançou ontem, no Centro Administrativo, na Capital, uma nova estratégia de combate ao crack entre os gaúchos. A nova medida prevê o credenciamento de comunidades terapêuticas para que recebam os pacientes após o período de internação hospitalar. “Temos hoje municípios de 40 mil habitantes com mais de 200 jovens usuários de crack”, enfatizou o secretário estadual da Saúde, Osmar Terra. Ele esteve presente ontem em encontro que reuniu representantes de cerca de 50 comunidades terapêuticas para apresentação de requisitos aos serviços que desejam receber os pacientes dependentes.

A primeira etapa do programa de combate à droga compreendeu a captura de incentivos financeiros para estimular hospitais gerais a abrir leitos aos usuários de drogas. Após a internação hospitalar, a intenção é que o paciente fique pelo menos seis meses em uma comunidade terapêutica e, na seqüência, seja encaminhado a um Centros de Atendimento Psicossocial. Segundo o secretário, o programa desenvolvido no RS será utilizado como projeto piloto no país.
Autor: Editoria Geral
OBID Fonte: Correio do Povo – RS