Muitas vidas foram salvas

A Lei Seca completa, hoje, dois meses com resultados animadores. Dados do Corpo de Bombeiros mostram que muitas vidas foram Salvas nos últimos 60 dias. O levantamento aponta que o total de colisões entre veículos, por exemplo, que costumam deixar um rastro de sangue nas vias do DF, teve uma queda de 46% no período. Nos dois meses anteriores às novas regras, foram registrados 46 atendimentos de acidentes por colisão, contra 25 nos dois meses seguintes, já com a lei em vigor.

O número total de atendimentos a todas as modalidades de acidentes de trânsito, feitos pelos socorristas do Corpo de Bombeiros, também caiu sensivelmente.

Nos meses de abril e maio, eles foram acionados para socorrer 2.666 ocorrências. Nos dois meses seguintes, com a nova lei em vigor, os bombeiros precisaram atender a 2.319 acidentes – queda de 13%.

Segundo o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, Maciel Nogueira, todos os tipos de acidentes, comuns no DF, como a colisão entre veículos e queda de motociclistas, tiveram seus números reduzidos. “Tanto as capotagens, quanto as batidas contra postes ou muros e derrapagens tiveram queda de 19,5%.

Nos dois meses antes da Lei Seca, registramos 1.054 ocorrências, contra 849 nos últimos 60 dias”, disse.

A queda no número de motociclistas que se acidentaram também foi percebida. Ao todo, foram registradas 598 ocorrências, nos dois meses anteriores à Lei Seca, e 556 no período seguinte – redução de 7% (veja quadro abaixo). “A lei é rigorosa, mas está salvando vidas. Isto não tem preço”, afirmou o militar.

Polícia Militar

O Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran) também apresentou, ontem, um balanço da Lei Seca. A pressão a motoristas que insistem em dirigir sob efeito de álcool surtiu efeito. Nos últimos dois meses, a PM emitiu 170 autos de infração e recolheu 88 carteiras de habilitação que pertencem a condutores flagrados dirigindo embriagados.

Segundo o subcomandante do BPTran, major Jorge Cronenberg, as operações deverão ficar cada vez mais intensas. “A ordem é apertar o cerco e não aliviar. No período da Lei Seca, já recolhemos 18 carros ao depósito do Detran e encaminhamos 20 pessoas sob efeito de álcool à delegacia”, explicou.

A multa para esse tipo de infração é de R$ 957. O condutor perde sete pontos na carteira e pode ter cassado o direito de dirigir por um ano.
Autor: Carlos Carone
OBID Fonte: Jornal de Brasília – DF