Programa chega a 16 municípios no Ceará

Ideb menor ou igual a 2,69 e cobertura de 100% do Saúde da Família foram fatores decisivos na escolha das cidades.

Brasília. Todos os 647 municípios selecionados para participar do Programa Saúde na Escola (PSE) podem aderir a esse programa até 5 de outubro. Os objetivos do programa incluem a prevenção e promoção da saúde, por meio de avaliações do estado nutricional, incidência precoce de hipertensão e diabetes, controle de cárie, acuidade visual e auditiva e, também, psicológica do aluno. A estimativa é que sejam beneficiados, até 2011, uma média de 26 milhões de estudantes de 1.242 municípios com baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

No Ceará, o Saúde na Escola será desenvolvido em 16 municípios com Ideb menor ou igual a 2,69 e cobertura de 100% do Saúde da Família. São eles: Acarape, Araripe, Barreira, Caririaçu, Cedro, General Sampaio, Icapuí, Missão Velha, Mulungu, Nova Olinda, Orós, Penaforte, Potengi, Quixeré, São João do Jaguaribe e Tamboril.

Na Capital e nos municípios de Caucaia e Maracanaú há previsão de repasse de incentivo para, respectivamente 173, 28 e 19 equipes do Saúde da Família, a fim de atender as escolas que também registram baixo Ideb e são participantes do Programa Mais Educação. Até o fim deste ano, em todo o País, o Saúde na Escola beneficiará 2 milhões de estudantes dos 647 municípios selecionados, o que representará investimento de R$ 34,5 milhões. Para atingir a meta global correspondente a 26 milhões de jovens, o Governo Federal aplicará R$ 844 milhões nos próximos três anos.

O Saúde na Escola representa um casamento das necessidades de melhorar o desempenho escolar e a saúde dos estudantes. O gerente de projetos e assessor do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, Antônio Dercy Silveira Filho, ressalva, porém, que não é possível atribuir só aos aspectos da saúde um salto na qualidade do aprendizado. Segundo ele, o rendimento escolar depende também de outros fatores e do aluno.

Estrutura

O Programa Saúde na Escola está estruturado em quatro blocos. O primeiro consiste na avaliação das condições de saúde, envolvendo estado nutricional, incidência precoce de hipertensão e diabetes, saúde bucal (controle de cárie), acuidade visual e auditiva e, ainda, avaliação psicológica do estudante. O segundo, trata da promoção da saúde e prevenção, que trabalhará as dimensões da construção de uma cultura de paz e combate às diferentes expressões de violência, consumo de álcool, tabaco e outras drogas. Nesse bloco haverá abordagem à educação sexual e reprodutiva, além de estímulo à atividade física e práticas corporais. O terceiro bloco do programa é direcionado à educação permanente e capacitação de profissionais.

Essa etapa será oferecida pela Universidade Aberta do Brasil, vinculada ao Ministério da Educação (MEC), em interface com os Núcleos de Telessaúde, do Ministério da Saúde, e observará os temas relacionados à saúde e constituição das equipes dessa área que atuarão nos territórios do PSE.
Autor: Editoria Regional
OBID Fonte: Diário do Nordeste-CE