fbpx

Consumida também no Brasil, a erva pode causar dependência

Por aqui, o uso da Salvia divinorum também tem se popularizado -é possível encontrar facilmente a erva pronta para o consumo à venda em sites na internet, assim como comunidades no Orkut nas quais usuários partilham experiências e anunciam venda de sementes e mudas da planta.

“Como é uma droga de uso recente no Brasil, não se prevêem punições. A legislação normalmente vem depois que o abuso se confirma”, diz o psiquiatra Hercílio de Oliveira Jr., do Grupo de Estudos de Álcool e Drogas e coordenador do Ambulatório de Maconha do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Mesmo liberada, é preciso ter em mente que a planta pode causar tantos danos quanto outras drogas. Apesar de a literatura científica sobre o assunto ainda não trazer claramente os riscos de dependência da erva, sabe-se que ela ativa áreas cerebrais e conseqüente liberação de dopamina de forma semelhante a outras drogas como a maconha e o álcool. “Todas as drogas que causam dependência têm em comum, direta ou indiretamente, exatamente essa ativação cerebral. Gera preocupação e é um risco bem importante”, diz o psiquiatra.

Oliveira vê com ceticismo o potencial uso medicinal dessa sálvia. “Para provar que tem uso medicinal são anos de estudo comparando a um placebo. Muitas vezes são os usuários, como acontece com a maconha, que levantam essa questão.”
Vale ressaltar que a planta alucinógena é diferente da utilizada na culinária, a Salvia officinalis. Esta não tem efeito psicotrópico e pode ser usada tranqüilamente para aromatizar marinadas, saladas e queijos.
Autor: Editoria Equilíbrio
OBID Fonte: Folha de S.Paulo-SP