ONGs enfrentam o analfabetismo no RN

Programa “Mova Brasil” monta sala de aula nas dependências do Centro de Atenção Psicossocial em Álcool e outras Drogas em Mossoró.

O analfabetismo no Rio Grande Norte ainda é um desafio a ser vencido. É o que se percebe a partir dos dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) na Síntese de Indicadores Sociais (SIS) ? Análise das Condições da população Brasileira em 2008. No relatório contendo as informações sobre o Rio Grande do Norte o instituto coloca que apesar de ter havido um declínio no número de crianças, jovens e adultos e analfabetos nos últimos cinco anos, a taxa de analfabetismo ainda é muito elevada e que, apesar da redução esta situação é uma das causas da marginalização deste grupo no Rio Grande do Norte. Em 2002 o Estado possuía 24,57% de taxa de analfabetismo percentual este que foi reduzido em 2007 para 20,90%.

“Apesar da redução expressiva a taxa de analfabetismo no Rio Grande do Norte ainda está alta, bem acima de outras regiões do país e dos parâmetros das Nações Unidas. Os programas de alfabetização de jovens e adultos do Ministério da Educação deverão acelerar o declínio da taxa”, afirma Ivanilton Passos de Oliveira, supervisor de disseminação de informações do IBGE no Estado.

A redução da taxa de analfabetismo que o Estado vem obtendo especialmente no que se refere à Educação de Jovens e Adultos se deve em muito à participação e envolvimento de ações do terceiro setor como as organizações não-governamentais ONGs e as ações de responsabilidade social promovidos por empresas que atuam com a frente da educação como mecanismo de mudanças nas comunidades.

A Petrobras realiza desde 2003 o Projeto Mova Brasil, um dos principais projetos de responsabilidade social da empresa com a proposta de fortalecer a organização dos sujeitos e das comunidades, por meio da alfabetização de Jovens e Adultos, da mobilização social e do fortalecimento da cidadania. Desenvolvido inicialmente para acontecer em três etapas, com a meta de alfabetizar 40.000 pessoas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Sergipe, Rio Grande do Norte e Ceará, o projeto hoje se amplia em número de estados atendidos já incluindo a nível nacional em todas as regiões brasileiras.

Ong trabalha em entidade que atende alcóolicos

Uma das provas de que a intervenção na redução do analfabetismo vem dando certo é que os educadores do Mova Brasil já saíram do programa e conseguiram ocupar vários espaços, como por exemplo, atuar na rede pública, assessorar ONGs, sindicatos, cooperativas. Em Mossoró uma iniciativa que representa bem essa realidade está sendo realizada junto ao Centro de Atenção Psicossocial em Álcool e outras Drogas ? CAPS AD que iniciou há uma semana aulas de alfabetização para as pessoas que são atendidas pelo centro em decorrência do uso de álcool e drogas nos sistemas intensivo (pessoas beneficiadas com atendimento no centro diariamente) e semi-intensivo (de duas a três vezes por semana). Percebendo-se que no CAPs era considerável o número de usuários de álcool e drogas que se declaram analfabetos a idéia de criar turmas de alfabetização vem para preencher uma lacuna e permitir novo recomeço aos beneficiados.

Na sala de aula montada dentro do próprio CAPS um grupo 38 pessoas atendidas pelo centro está iniciando a alfabetização. “Muitos deles tem idade avançada e dificuldades de lagar as drogas até por não conseguir emprego. Sabemos que o fato de não saberem ler nem escrever atrapalha. Com a alfabetização eles vão ter mais estímulo em recomeçar a vida e largar as drogas”, explica a administradora do CAPS AD, Joana Darc Xavier.

A idéia vem tendo a aceitação de atendidos como Daniel Tavares. Aos 44 anos ele não sabe ler e nem escrever e desde o último emprego em uma fábrica de doces há alguns anos não conseguiu mais trabalho. O caminho do alcoolismo parecia mais fácil para enfrentar os problemas. “Só sei fazer meu nome se olhar num papel. A oportunidade de estudar vai ser muito bom pra mim”, explica Tavares.
Autor: Izaíra Thalita
OBID Fonte: Tribuna do Norte – RN