IBGE vai pesquisar dados de tabagismo em todo o país

Tema será incluído em pesquisa anual do instituto

A próxima Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), cujos dados começam a ser coletados na segunda-feira, terá um módulo específico sobre saúde, com foco no tabagismo. O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou ontem que a pasta investiu R$ 1,5 milhão para a inclusão do tema na pesquisa anual do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Em evento no Inca (Instituto Nacional de Câncer), no Rio, Temporão disse que a prevalência de tabagismo no país caiu de 32% para 17% nos últimos 15 anos. Segundo ele, a Pnad vai subsidiar medidas para que esse número caia mais.
“Com a pesquisa, vamos poder saber como está a situação considerando gênero e faixa etária, por exemplo. Isso é muito importante para que possamos propor novas estratégias de educação para reduzir cada vez mais a prevalência do tabagismo no país”, afirmou.

A coleta dos dados começa na segunda-feira e deve durar seis semanas. Serão visitados 150 mil domicílios em todos os Estados. Os recursos do convênio com o Ministério da Saúde serão usados na contratação de mão-de-obra para a pesquisa. O IBGE estima que cada entrevista, com 163 perguntas, irá durar cerca de uma hora e meia.

O anúncio foi feito no lançamento do novo modelo de gestão do Inca. Pelo acordo assinado ontem, o ministério elevou em R$ 54 milhões o teto financeiro para o custeio dos serviços especializados de oncologia. O repasse das verbas, porém, é condicionado ao cumprimento de metas.

Temporão também defendeu ontem o fim da estabilidade para os profissionais de saúde, ao comentar o projeto de regulamentação das fundações estatais de direito privado, que aguarda votação no Congresso. Pelo texto, essas fundações poderiam contratar servidores públicos pelo regime CLT.
Autor: Denise Menchen
OBID Fonte: Folha de S.Paulo-SP