Itália – Usuários de cocaína chegam gastar 60% da renda na droga

Um estudo do Observatório Epidemiológico de Dependências Patológicas na Itália foi divulgado esta semana e mostrou que os usuários de cocaína do país chegam a destinar 60% da própria renda à compra da droga, mas em geral não se tornam criminosos para sustentar a dependência e tentam interromper o hábito quando o dinheiro acaba.

Segundo a agência Ansa, o levantamento foi realizado em 25 cidades de 10 regiões da Itália, entrevistou 3.409 pessoas de idades entre 15 e 50 anos, escolhidas ao caso, e cerca de 500 usuários dependentes de cocaína.

Segundo a pesquisa, o consumidor de cocaína geralmente tem uma renda maior do que a dos usuários de outras substâncias psicotrópicas, como o álcool. Cada usuário consome em média 87 doses de cocaína por ano, gastando cerca de 1.450 euros por mês, equivalente a 33% da própria renda, porcentagem que pode dobrar em alguns casos.

O levantamento acrescenta que 75% das pessoas que experimentam cocaína param no primeiro ano. Entre aquelas que largam a dependência, a maioria é de baixa renda, com preocupações em relação aos riscos que a droga apresenta para a saúde.

As mulheres italianas em geral usam cocaína mais cedo que os homens e, para elas, o primeiro contato chega através de um conhecido que oferece a droga, em geral em situações de lazer.

A diferença entre consumidores e dependentes, descrita pelo estudo, marca também a modalidade do consumo: os primeiros usam a substância em grupo, enquanto os outros fazem um consumo solitário, em geral no trabalho, em casa ou no bar.

O estudo também ressalta que muitos usuários começaram a usar cocaína em busca de melhor rendimento no trabalho e, em seguida, afirmam ter precisado trabalhar mais para sustentar a dependência.
Autor: Últimas Notícias
OBID Fonte: O Globo – RJ