fbpx

Faleceu, no dia 14 de dezembro, em Paris, Claude Olievenstein

O médico e psiquiatra Claude Olievenstein nasceu em Berlim em 1933 e imigrou para a França com os pais e um irmão para fugir da perseguição nazista durante a 2ª Guerra Mundial.

Olievenstein participou ativamente dos movimentos estudantis de maio de 1968 e inconformado com o tratamento dado aos toxicômanos pela medicina psiquiátrica da época desenvolveu uma abordagem inovadora no tratamento dos problemas associados ao uso de drogas e inaugurou o Centro Médico Marmottan no 17ème Arrondissement de Paris, em um antigo hospital desativado, cujo nome era Paul Marmottan (17-19, Rue dArmaillé. Paris 17 émè).

Em 1983, veio ao Brasil pela primeira vez. Naquela época, vários técnicos brasileiros foram para Marmottan enquanto estagiários, entre eles destacam-se Antonio Nery Filho (BA), Richard Bucher (BRA), Dartiu Xavier da Silveira (SP), Jesus Santiago (MG), Gilberta Acselrad (RJ), Fernando Grossi (MG), entre outros, contribuindo assim, para a formação de várias gerações de pesquisadores brasileiros na área de drogas.

Entre 1983 e os anos noventa, Olievenstein veio anualmente ao Brasil, colaborando com a implantação e desenvolvimento de uma nova clínica das toxicomanias, cujos efeitos não cessaram até os dias atuais.

Dentre suas publicações notabilizaram-se, sobretudo: Os drogados não são felizes; A droga ou a vida; A clínica da toxicomania, A droga.
Autor: Centro de Estudos e Terapia do Abuso de drogas-CETAD/UFBA
OBID Fonte: Senad