Entrevista com Dras. Erica Frank e Carolina Segura – Consumo de álcool entre estudantes de medicina


Erica Frank é Professora Titular de Pesquisa da Faculdade de População e Saúde Pública da Universidade de British Columbia, Canadá. Carolina Segura é pós-doutoranda da Faculdade de População e Saúde Pública da Universidade de British Columbia, Canadá.

Entrevista com Erica Frank e Carolina Segura
Assunto: “ Consumo de álcool entre estudantes de medicina”

1. A qualidade e freqüência de aconselhamento sobre álcool, prestados por estudantes de medicina, está associada com seu próprio padrão de consumo de álcool? Em caso positivo, como isso afeta, de forma geral, o cuidado em saúde?

A maior parte dos estudos entre estudantes de medicina e médicos norte-americanos e entre estudantes de medicina colombianos mostrou que há uma forte associação entre os hábitos pessoais de consumo de álcool e suas atitudes e práticas de aconselhamento sobre álcool. Dentre os estudantes de medicina, o consumo excessivo de álcool e no padrão binge é comum, apesar de ser um pouco menos prevalente se comparado com adultos, de mesma faixa etária, da população geral norte-americana. Poucos estudantes frequentemente discutem sobre o consumo de álcool com seus pacientes, mas um maior treinamento e confiança nesse aconselhamento é fator preditor da prática e da crença na relevância do aconselhamento sobre álcool. As escolas médicas deveriam considerar o treinamento rotineiro de estudantes a fim de triar e aconselhar os pacientes sobre o uso nocivo de álcool e também deveriam desencorajar o consumo excessivo entre os estudantes. Assim, esses achados sugerem que médicos saudáveis atuarão de forma mais efetiva no aconselhamento preventivo para com seus pacientes. Além disso, seria bastante benéfico se o sistema de saúde como um todo promovesse hábitos saudáveis dentre seus médicos.

2. Em sua opinião, quais são as razões que poderiam melhor explicar a alta prevalência do consumo nocivo de álcool entre os estudantes de medicina?

Na verdade, esse consumo é mais baixo do que para a população geral e de mesma faixa etária. Esse é o grupo de referência apropriado, não um ideal imaginário.

3. Há alguma intervenção conhecida que tenha sido direcionada especificamente a essa população para prevenir o consumo nocivo de álcool?

Por enquanto não há nenhuma intervenção de sucesso para reduzir o consumo de álcool entre os estudantes de medicina, em contraposição aos bons resultados das intervenções adotadas sobre dieta, prática de exercícios e consumo de tabaco. Na verdade só conseguimos contrariar os estudantes de medicina no tocante à sua prática de aconselhamento , porque acreditamos que tenham ficado bravos, porque pensavam que nós estivéssemos, puritanamente, insistindo que eles devessem se abster completamente do consumo de bebidas alcoólicas.
Fonte:CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool