Delegacias móveis para impor Lei Seca

Detran equipou duas vans que terão um delegado, um escrivão e dois agentes para enquadrar os infratores.

Uma nova estratégia contra os motoristas que ainda insistem em dirigir após consumirem álcool começou a entrar em prática ontem no estado e é considerada uma iniciativa pioneira no país. O Departamento de Trânsito de Pernambuco (Detran) passou a contar com duas delegacias móveis para autuar em flagrante os condutores que ferirem a lei 11.705/08, a chamada Lei Seca. A proposta é otimizar o tempo e agilizar os flagrantes sem necessidade de deslocar os infratores até uma delegacia.

Os veículos circularão na Região Metropolitana do Recife e agilizarão os flagrantes dos condutores alcoolizados.

As delegacias que acompanharão as blitzes vão funcionar em duas vans que terão a bordo um delegado, um escrivão e dois agentes para dar apoio aos 14 pontos de bloqueio, que de acordo com o Detran, funcionam desde a implantação da Lei Seca. “Não houve redução nas blitzes como vem se falando. Temos uma média de oito a dez abordagens em diferentes pontos da Região Metropolitana”, garantiu o presidente do Detran, Roberto Leandro.

“A proposta é levarmos esse tipo de delegacia também para as cidades do interior”
Servilho Paiva – Secretário de estado

Pelo menos por enquanto as delegacias móveis não irão se estender até o interior. “Estamos iniciando com duas delegacias móveis e a proposta é aumentar esta estrutura para atender em outro momento as cidades fora da Região Metropolitana do Recife”, revelou Servilho Paiva, secretário de Defesa Social.

Nos últimos cinco meses em que a lei passou a vigorar em todo o território nacional, o número de viaturas para atuar nas blitzes passou de oito para dezesseis no estado. Também houve reforço na quantidade de etilômetros que subiu de 16 para 60. “Nós conseguimos aumentar também o número de agentes de 25 para 70 e serão chamados 100 concursados para reforçar as equipes”, afirmou Humberto Costa, secretário das Cidades.

Abordagens – Além de melhorar o efetivo, o Detran divulgou um balanço das operações referente às blitzes realizadas no período de 3 de julho a 26 de dezembro deste ano (quando teve início a fiscalização no estado). A estatística revela que dos 56.303 veículos abordados neste período, apenas 7,7% deles tiveram algum tipo de infração e ainda que menos de 3% foram notificados em razão de ingestão de bebidaalcoólica.

Os números, no entanto, não traduzem uma redução nos acidentes. Na maior emergência pública do estado no Hospital da Restauração (HR), no período de junho a dezembro de 2007, um total de 4.265 pessoas vítimas de acidente de trânsito deram entrada no HR. No mesmo período deste ano, após a Lei Seca, foram acidentadas no trânsito 4.033, uma redução de 5,4%.

O presidente do Detran Roberto Leandro explicou que a tendência é reduzir os acidentes com a melhor conscientização dos motoristas. “Assim como o cinto de segurança teve resistência no início, nós acreditamos que em até três anos as pessoas possam assimilar a necessidade de não dirigir após ingerir álcool”, ressaltou Leandro.

De acordo com a Lei Federal 11.705/08, quem for pego dirigindo após ter ingerido bebida alcoólica está sujeito a uma multa de R$ 957,70 e pode ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa por 12 meses.
Autor: Editoria Vida Urbana
OBID Fonte: Diário de Pernambuco – PE