Fumar na gravidez reduz o fluxo sanguíneo para o feto, indica estudo

Fumar durante a gravidez pode reduzir o fluxo sanguíneo para o feto em desenvolvimento, retardando o seu crescimento, segundo estudo que será publicado este mês na revista Circulation. Segundo os autores, do Gentoffe University Hospital, na Dinamarca, há 50 anos sabemos que bebês nascidos de mães fumantes têm menor peso ao nascer, “mas esse estudo oferece uma explicação possível de porque há fluxo sanguíneo restrito para o feto”.

Os pesquisadores avaliaram 266 gestantes – entre as quais 43 eram fumantes e 41 ex-fumantes. E observaram que recém-nascidos de mulheres fumantes tinham menor peso, menor tamanho de cabeça e eram menores, comparados com filhos de ex-fumantes e não-fumantes.

Os resultados indicaram que o tabagismo estava associado a uma queda de 47% nos níveis de uma proteína chamada óxido nítrico sintase endotelial, que ajuda no relaxamento dos vasos sanguíneos e no aumento do fluxo; e queda de 18% no “bom” colesterol (HDL) no feto. O próximo passo será determinar se o fumo materno pode aumentar os riscos de aterosclerose no filho mais tarde.
Autor: Leandro Perché
OBID Fonte: Boa Saúde – UOL Blog