IML passará a fazer teste de alcoolismo

Em cerca de duas semanas, começará a funcionar no Instituto Médico Legal (IML) de Bauru um equipamento que revela a dosagem alcoólica de amostras de sangue. A partir do momento em que entrar em operação, não será mais necessário remeter os exames para São Paulo. Com a novidade, o resultado dos testes será conhecido em dois ou três dias, e não mais em aproximadamente dois meses.

Bauru recolhe por mês, em média, 200 mostras, encaminhadas à Capital. Agora, está se habilitando para ter capacidade de analisar 50 por dia. “É muito importante porque agilizará para a Polícia Civil”, comenta o diretor do IML, médico Ivan Segura. De acordo com ele, muitos inquéritos dependem desses resultados. “Vai ser instalado agora, no dia 16. É uma reivindicação antiga”, acrescenta.

O delegado Abel Cortez, assistente da Delegacia Seccional, confirma. “Para a Polícia Civil, toda novidade, melhoria, do IML e do IC (Instituto de Criminalística) que venha agilizar os laudos, é salutar porque isso agiliza a tramitação dos inquéritos”, frisou.

Para Segura, trata-se de uma vitória no processo de descentralização do IML. Para tanto, foi feito um investimento em Bauru na ordem de R$ 130 mil. Para operar a máquina, um funcionário do IML local passou por treinamento em São Paulo. Um segundo técnico e o próprio diretor também serão instruídos em como utilizá-la. Segura, no entanto, ressalta que o equipamento se restringe em avaliar a dosagem alcoólica. “Não é para exame toxicológico”, reitera.

Para que o IML de Bauru passe também a fazer testes toxicológicos depende de mais R$ 300 mil, aproximadamente. Com esse intuito, um órgão de fomento foi procurado e exigiu informações locais. “Já fizemos um estudo. Atendemos uma região que ultrapassa 2 milhões de pessoas. Há uma necessidade premente, inclusive para desonerar um pouco a Capital. Com relação à dosagem alcoólica, é possível que Bauru atenda até Araraquara”, informa o diretor do IML.

De acordo com ele, ao realizar os exames em Bauru, será possível, inclusive, privilegiar casos emergenciais. “Hoje em dia é obrigatório fazer a dosagem alcoólica sempre que ocorre um acidente com vítima fatal, por exemplo. Isso tem implicações nas áreas cívil e criminal”, conclui.
Autor: Editoria Geral
OBID Fonte: Jornal da Cidade – Bauru