O impacto da publicidade de bebidas alcoólicas sobre o consumo entre jovens: revisão da literatura internacional

Os levantamentos epidemiológicos brasileiros deixam notório o fato de que o consumo de álcool é preocupante, especialmente entre os mais jovens. Entre os possíveis fatores de modificação, que podem ter impacto no aumento de seu consumo, está a promoção de bebidas alcoólicas. Por conta de sua relevância, os autores ofereceram uma revisão do assunto a partir do levantamento de 105 artigos científicos internacionais publicados no período de 1990 a 2008.

Três tipos de estudos destacaram-se no estudo da influência da publicidade sobre o consumo de álcool, a citar: (a) estudos descritivos, (b) de consumidores e (c) econométricos. Os estudos descritivos, preocupados em analisar a freqüência e o conteúdo dos anúncios publicitários de bebidas alcoólicas, têm apontado os jovens (especialmente adolescentes) e as minorias étnicas (latinos e negros) como os segmentos sociais mais frequentemente expostos à publicidade de álcool.

Já os estudos de consumidores (que tem o indivíduo como unidade de análise) têm introduzido novas tecnologias para medir a influência da exposição de álcool sobre seu consumo, tendo divulgado evidências convincentes de sua interferência sobre o comportamento de beber de adolescentes e jovens. Nessa categoria, estudos longitudinais já apontaram para uma relação causal entre a publicidade de álcool e seu consumo, uma vez que a partir do momento que o jovem declara identificar-se ou apreciar elementos de determinado anúncio publicitário, aumenta-lhe o desejo e a intenção de comprar o produto. Além disso, os estudos de consumidores têm demonstrado que jovens com diferentes características parecem ser afetados de formas distintas pelos anúncios de álcool, apontando para a relevância dos “fatores pessoais de vulnerabilidade” ao estudar-se essa relação.

Para finalizar, estudos econométricos, que analisam a quantidade de propaganda de álcool (indicador indireto de exposição) e sua relação com o nível total de consumo de bebidas alcoólicas (indicador indireto de prejuízos relacionados ao álcool), em virtude de suas dificuldades metodológicas têm encontrado resultados controversos. Porém, dentre eles, um estudo econométrico de grande porte sugeriu que a restrição completa da propaganda de álcool seria uma estratégia eficiente na redução de seu consumo, diminuindo também o número de mortes entre adultos.

Assim, em linhas gerais, a publicidade de bebidas alcoólicas é um dos importantes fatores influenciadores dos hábitos de consumo de álcool, em particular entre os mais jovens. Soma-se a isso que a redução da exposição à publicidade tem impacto positivo e proporcional sobre o uso de álcool, apontando, conforme os autores, que combinada a outras medidas regulatórias, a redução da publicidade seria uma estratégia importante para a redução do uso de álcool e dos danos a ele associados.

Autores: Ilana Pinsky, Sami A R J El Jundi

Fonte: Rev Bras Psiquiatr. 30(4):362-74, 2008

IF.: 1,225
Fonte:CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool