Antitabagismo será estendido para toda rede

Ribeirão Preto terá tratamento antitabagismo na rede pública de saúde. O projeto voluntário desenvolvido há cinco anos na Unidade Básica e Distrital de Saúde (UBDS) Central recebeu aval do governo federal para recebimento de remédios e deverá servir de modelo para o trabalho nas demais unidades municipais.

Como nem todos necessitam de medicação, a distribuição dos chicletes, adesivos e antidepressivos seria concentrada na unidade central. O índice de abandono do cigarro após tratamento nacional é de 20%, mas em Ribeirão Preto isso chega a 30%.

Há cerca de 100 pessoas na fila de espera para o tratamento, que consiste em reuniões em grupo uma vez por semana e consultas individuais. “A procura é grande, mas faltam opções de tratamento pelo SUS. Estimamos que 90% dos fumantes precisem de ajuda para parar”, disse médico sanitarista Clésio Souza Soares, um dos responsáveis pelo trabalho.

A secretária municipal de Saúde, Claudia Queiroz, afirmou que devem ser feitas ações especiais este ano e que a implantação total de novos grupos antitabagismo na rede está prevista para 2010.
“Fumei por 30 anos até um maço e meio por dia. Além de todos me criticarem, me sentia covarde por não atender ao pedido do meu neto. Levou três meses para me chamarem e tomei remédio por uma semana. Não fumo há três meses e não pretendo voltar”, contou Fátima Prando, 50 anos, uma das pacientes que tiveram alta.
Autor: Editoria Cidades
OBID Fonte: Gazeta de Ribeirão