Cães e gatos unidos contra o cigarro

Você deixaria de fumar se soubesse que a fumaça faz mal ao seu bicho de estimação? Pois saiba que os malefícios do cigarro também afetam os animais. Pouca gente toma conhecimento, mas os efeitos tóxicos do fumo atingem um cachorro de maneira parecida aos humanos, alertam os veterinários. Na fumaça há cerca de cinco mil elementos diferentes, boa parte delas com propriedades cancerígenas e até radioativas. Além do câncer, o cigarro também é apontado como causador de problemas respiratórios.

Uma pesquisa realizada pela internet na cidade de Michigan, nos Estados Unidos, tentou responder à pergunta que abre esta reportagem. Dos 3.293 donos de cães, gatos e pássaros entrevistados, 28,4% afirmaram que largariam o vício do cigarro pelo bem-estar do animal. E 16,4% disseram que pediriam ao parceiro que parassem de fumar, caso soubesse que o hábito prejudicaria o bicho de estimação. O estudo foi feito pelo instituto Henry Ford Health System. O levantamento teve a participação de mais de três mil pessoas. A pesquisa propõs questões sobre os animais que viviam na casa do entrevistado, hábitos tabagistas das famílias, interesse em largar o vício e regras relativas ao hábito de fumar dentro de casa.

Questionada sobre a possibilidade de parar de fumar, a publicitária Gina Figueiredo, de 32 anos, há 15 fumando, afirmou que estaria disposta a parar com o cigarro, em benefício do seu gato persa, Branquinho, de três anos. “Se soubesse da informação eu não fumaria. Mas pode-se evitar fumar perto. Eu procuro não acender um cigarro em ambiente fechado quando ele está próximo. O problema é que ele vive perto de mim. É da raça dele mesmo, muito apegada ao dono”, disse.

A publicitária ainda conta que já teve outro gato antes e não percebeu problemas em relação ao fato de fumar perto dele. “Tive um siamês que sobreviveu 16 anos e morreu de velhice”.

O médico veterinário Davi Wilson Mariano explica que o prejuízo mais imediato para o animal decorrente do fumo passivoé no faro. “Se um cachorro ficar exposto demais à fumaça do cigarro, seu olfato, cerca de 80 vezes mais potente que o do homem, pode ser altaredo. Ele perde a sensibilidade e cão sem faro, sem sentir cheiro, não sobrevive. No caso do gato, o olfato não é tão eficaz como o do cachorro, mas felinos também dependem dele para viver”, disse.

O veterinário ainda afirma que para evitar a perda de sensibilidade no olfato dos animais a solução é a prevenção. “Apesar de nunca ter atendido um bicho vítima de problemas devido à fumaça, recomendo não fumar perto dele. O bicho não tem noção, não sabe que não era para estar ali e tem um espaço físico limitado. Então cabe ao dono não fumar perto dele. Assim como seres humanos, a fumaça é também prejudicial aos animais”, disse.

Números

Foram entrevistados 3.293 donos de cães, gatos ou pássaros

21% declararam ser fumantes regulares

27% informaram conviver em casa com pelo menos um fumante.

28,4% afirmaram que largariam o vício se soubessem dos malefícios do fumo para seus animais de estimação

16,4% pediriam ao parceiro para parar de fumar se descobrissem que o animal de estimação da casa está sendo prejudicado

Fonte: Henry Ford Health System
Autor: Vinícius Araújo
OBID Fonte: Diário de Pernambuco