Crianças terão cidade-escola

Durante almoço com a cúpula da Igreja Católica, o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, assinou ontem dois decretos que lançam oficialmente os projetos Cidade dos Meninos e Fazenda da Esperança. Tratam-se de iniciativas sociais coordenadas por religiosos que contarão com o apoio do governo. Os decretos desapropriam dois terrenos, um em Brazlândia e outro no Recanto das Emas, que abrigarão as sedes dos projetos. Cerca de 100 padres participaram do encontro na residência oficial do governador, em Águas Claras. Entre eles, o arcebispo de Brasília, dom João Braz de Aviz, e o cardeal dom José Freire Falcão.

A Cidade dos Meninos funcionará em uma área de 570 mil m² no Núcleo Rural Monjolo, no Recanto das Emas. Arruda conheceu esse projeto em setembro do ano passado, quando visitou a unidade de Belo Horizonte, onde a iniciativa surgiu há 10 anos. Na ocasião, o governador já havia demonstrado o interesse em trazer a ideia para o DF. O projeto, mantido por doações de empresários e da comunidade, atende, na capital mineira, cerca de 5 mil crianças de baixa renda e oferece a elas, além do estudo e da alimentação, oficinas profissionalizantes, aulas de música, catequese e a prática de esportes. Os beneficiados passam a semana na “cidade”, em esquema de regime interno ou semi-interno.

Na unidade do Recanto das Emas serão construídas 32 casas e outros 16 locais para oficinas. A previsão é que, no primeiro semestre do ano que vem, 110 meninos e meninas entre 12 e 18 anos comecem a ser atendidos. Com o tempo, a capacidade de atendimento poderá chegar a mais de 500 adolescentes. “Estamos trabalhando há dois anos nisso. Já existe uma equipe formada por 60 voluntários”, informou o coordenador do projeto, padre Giovani Carlos, da Paróquia São Miguel Arcanjo, também no Recanto. O governo ajudará a construir as primeiras seis casas e quatro módulos de oficinas. O valor do investimento ainda não foi calculado.

A Fazenda da Esperança ficará no Núcleo Rural Alexandre Gusmão, em Brazlândia, em uma área de 270 mil m². Nesse espaço, mulheres dependentes de álcool e outras drogas serão acolhidas por missionárias do projeto que nasceu em 1983 em Guaratinguetá, interior de São Paulo, cidade de frei Galvão, o primeiro santo brasileiro. Os acolhidos participam de oficinas, nas quais aprendem a confeccionar artesanato e a trabalhar na horta. O lado espiritual não é deixado de lado. “Nosso trabalho é para que o dependente se reconcilie consigo mesmo. Só assim ele conseguirá largar o vício”, contou o idealizador do projeto, o frade alemão Hans Stapel, de 63 anos.

Prevenção

Inicialmente, uma casa será construída com capacidade para acolher 12 mulheres. O trabalho deve começar em dois meses. Aos poucos, novas casas serão erguidas e o atendimento poderá ser estendido a mais dependentes. Nos próximos dias, Arruda deve doar outro terreno, também no Recanto das Emas, para a construção da ala masculina. “Não poderemos deixar sem ajuda quem nos procura”, comentou frei Hans. A Fazenda da Esperança em Guaratinguetá recebeu a visita do papa Bento XVI, em maio de 2007. Existem 60 fazendas espalhadas pelo mundo — 46 no Brasil. Elas se mantêm com doações e com o dinheiro da venda do que é produzido pelas pessoas em recuperação.

“A Fazenda Esperança é para recuperação de dependentes de drogas. Já a Cidade dos Meninos é para abrigar adolescentes em situação de risco e evitar que eles entrem nas drogas. São duas coisas que se complementam. A minha preocupação é investir na prevenção. Esses projetos fazem com que a gente diminua a incidência de adolescentes no crime”, afirmou o governador José Roberto Arruda.

O secretário de governo do DF, José Humberto Pires, disse que o incentivo do GDF aos projetos é um investimento social. “São projetos de prevenção e recuperação. Podemos investir em delegacias e presídios e em outras estruturas de punição. Mas esses dois projetos são o outro lado da moeda”, comentou. A ajuda do governo, segundo ele, se resumirá à doação dos terrenos da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) e ao investimento inicial na infraestrutura da Cidade dos Meninos, que deve começar a ser construída em 45 dias. “Estamos dando o pontapé inicial. Depois, a sociedade civil vai tocar os projetos”, destacou.
Autor: Diego Amorim
OBID Fonte: Correio Braziliense