Composição de produtos alcoólicos vendidos em feiras da Lituânia e Hungria e potenciais riscos à saúde: um estudo piloto.

O consumo crônico de etanol é fator de risco ao desenvolvimento de diversas doenças, especialmente nas regiões centrais e orientais da Europa. Sabe-se ainda que cerca de 30% do álcool consumido no mundo não são taxados, sendo produzidos artesanalmente ou provenientes de contrabando. Há ainda os produtos substitutos (como águas-de-colônia, perfumes e enxaguantes bucais) que, apesar de não serem destinados ao consumo, são utilizados como se fossem bebidas alcoólicas.

A Lituânia e Hungria, situados no Leste Europeu, tem um consumo per capita e padrões de consumo similares a países vizinhos, como Eslováquia e Polônia, mas uma mortalidade, relacionada ao álcool, muito superior. Dessa forma, a hipótese levantada por esse estudo foi de que a qualidade do álcool consumido nesses países estivesse associada a essa discrepância. Para isso, foi avaliada a concentração alcoólica de etanol de bebidas vendidas em mercados abertos, tendo também sido avaliada a concentração de outros compostos voláteis além do etanol, (como metanol e acetaldeído), de sais inorgânicos, além de parâmetros como condutividade, composição aniônica, concentração de cumarina e carbamato de etila.

Para estudo-piloto foram coletadas 10 amostras de álcool na Lituânia e 15 na Hungria. A maioria das amostras (64%) apresentou conteúdo alcoólico entre 35% e 40% vol., de acordo com o conteúdo de bebidas destiladas na Europa. Três amostras continham conteúdo alcoólico superior a 60% vol., assim como produtos alcoólicos não-registrados. Quanto ao metanol e acetaldeído, não foram encontradas amostras com concentrações acima do recomendado pelos órgãos oficiais da União Européia. Para três amostras, foram encontrados altos teores (acima de 1000 g/hl p.a.) de álcoois como 1-butanol, cuja toxicidade não está comprovada. Para cumarina, um aromatizante hepatotóxico, foi encontrada concentrações superiores limite máximo de tolerância em apenas três amostras.

Em linhas gerais, os produtos analisados tinham boa qualidade. Porém, os resultados do presente estudo devem ser considerados com cautela. A amostra é pequena e tem pouca representatividade estatística. Logo, levantamentos estatísticos devem ser realizados com amostras maiores, a fim de que a influência concreta da composição de bebidas alcoólicas não-registradas sobre o estado de saúde seja confirmada.

Título: The Composition of Alcohol Products from Markets in Lithuania and Hungary, and Potential Health Consequences: A Pilot Study

Autores: Lachenmeier DW, Sarsh B, Rehm J
Fonte: Alcohol and Alcoholism, 44 (1): 93-102, 2009
IF.: 2,517
Fonte:CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool