O que fazer diante das drogas?

Crian­ças e jo­vens do Jar­dim San­ta Fé têm au­las de mú­si­ca, in­for­má­ti­ca e lín­gua por­tu­gue­sa: opor­tu­ni­da­de pa­ra fa­mí­lias ca­ren­tes

Reunir informações que levem o indivíduo a tomar uma decisão para a vida toda: essa é a visão que a professora Maria Luiza Marinho Casanova, do Departamento de Psicologia Geral e Análise do Comportamento da Universidade Estadual de Londrina (UEL), quer transmitir durante o 1º Tend Tudo. Durante o evento serão discutidas as causas e consequências do uso do tabaco, álcool e drogas. Voltado ao público jovem, o encontro, que acontecerá amanhã, em Londrina, terá a participação de cinco palestrantes.

Gratuitas e abertas à comunidade, as palestras terão caráter preventivo. Serão abordados temas como a influência do consumo de álcool no trânsito, a vida de adolescentes infratores, a prevenção de acidentes domésticos e primeiros socorros, a recuperação de dependentes e ações da iniciativa privada para manter os jovens fora das ruas.

Maria Luiza, coordenadora do evento, abordará o tema “O que vou fazer quando me oferecerem drogas?” Segundo ela, a palestra quer fazer o jovem pensar antes de tomar qualquer atitude em relação ao consumo de drogas. “Primeiro o filho tem que ter informação para depois fazer uma escolha consciente”, alerta.

Para ela, slogans não funcionam mais com os adolescentes. Eles precisam parar para pensar e é ai que entra a ajuda dos pais. “O jovem tem que se questionar que drogas usaria e por que, em que circunstâncias a droga seria necessária, o que pode acontecer na vida dele se ele usar. Isso o ajuda a identificar a sua relação com a droga e a fazer escolhas baseadas no raciocínio próprio dos prós e contras”, explica Maria Luiza.

Para os pais, ela sugere o diálogo: “Se o pai quer realmente ajudar o filho a passar pela juventude, quer a confiança do filho, ele não pode reprimir. Proibir não muda o comportamento do filho, muda o que ele vai contar para o pai”, alerta a professora. Conforme ela, mesmo que não concordem com a decisão do filho, os pais têm que ter estrutura para ensinar e discutir com o jovem o futuro dele. “É pensar junto antes das coisas acontecerem. Pais repressores não têm vez com essa geração.”

Para Maria Luiza, coordenadora do evento, “além de levar informação, a intenção é despertar o interesse do empresariado londrinense em desenvolver projetos sociais de prevenção da violência”. No intervalo das palestras, o público terá acesso a informações sobre tratamentos contra o tabagismo, bazar beneficente de roupas e objetos usados, exposição de carros antigos usados pelo Exército Americano, pizzas e apresentação de música gospel.

“Muitos empresários querem fazer algo mas não sabem como, alguns têm medo de ver o recurso doado sendo usado em ações diferentes daquelas para o qual foi destinado: a parceria com a universidade dá credibilidade aos investimentos”, comenta Maria Luiza. A ideia da professora é fazer do Tend Tudo um encontro regular. São esperadas pelo menos 100 pessoas em cada palestra.

Conforme a coordenadora, a ideia do encontro surgiu a partir de um trabalho com um grupo de jovens realizado pelo marido dela na Igreja Presbiteriana Renovada de Londrina. Parte da renda com a venda das peças do bazar será revertida para uma creche da Vila Marízia (Centro) e uma casa de recuperação de dependentes em Rolândia (Norte).

Serviço

1º Tend Tudo. Local: Sede da 1 Igreja Presbiteriana Renovada de Londrina, na Rua Amazonas, 604, das 9 às 18h30.
Autor: Evandro Monteiro
OBID Fonte: Folha de Londrina