Lei contribui para redução

Diante do contexto do trânsito no verão em relação ao número de mortes, os fatores desfavoráreis não resultaram em mais violência nas estradas. A explicação do inspetor Vilmar Bossei para o fenômeno é a Lei Seca no trânsito. Embora a consciência de que não dirigir alcoolizado é a melhor opção para a segurança ao volante, a lei já dá o retorno esperado.

Não há uma estatística de quantas operações foram feitas pela PRF especificamente no período do verão, ou de pessoas detidas devido à ingestão de álcool antes de dirigir. Entretanto, se comparados os períodos de 20 de junho a 31 de dezembro de 2008 e 1º de janeiro a 19 de março de 2009, a média mensal de motoristas presos por dirigirem embriagados é maior nos dois meses de pico do verão. Nos seis meses de 2008, 321 pessoas foram detidas – média de 53,5 por mês – e em menos de dois meses de 2009, 131 motoristas foram flagrados dirigindo alcoolizados – média de 65,5.

A PMRv notificou, por embriaguez, 72 motoristas em dezembro, 58 em janeiro e 53 em fevereiro. O número do mês de março ainda não foi contabilizado, mas o capitão Fábio Martins avalia que a Lei Seca contribuiu para que as mortes no trânsito não aumentassem consideravelmente.

– Sentimos a diminuição do número de pessoas dirigindo alcoolizadas – avalia o inspetor Bossei, da PMRV.
Autor: Reportagem Especial
OBID Fonte: Diário Catarinense