Secretaria de Saúde se reúne com Alcoólicos Anônimos e profissionais da saúde

O secretário de Saúde de Santa Bárbara d’Oeste, Fábio Luiz Alves, e a equipe de apoio à gestão da secretaria de Saúde têm realizado reuniões com entidades da sociedade civil, como as pastorais, a Associação dos Diabéticos e Organizações Não Governamentais para discutir o projeto de saúde do município em suas diversas frentes.

A última entidade a se reunir com o secretário foi o Grupo Santa Bárbara de Alcoólicos Anônimos (AA), juntamente com o Grupo de Familiares AL-ANON, psicólogos e assistentes sociais da rede. O encontro realizado no Centro Comunitário de Referência teve como objetivo discutir a questão de álcool e drogas, que permeia não só a esfera da saúde, mas também da segurança, do trabalho, da cultura entre outros. “Temos que pensar em ações coordenadas pela Secretaria de Saúde no campo da promoção e prevenção, ações intersetoriais para evitar, sempre que possível, a internação de dependentes químicos”, afirmou Alves.

O Secretário falou sobre o papel importante da Atenção Básica como porta de entrada do acolhimento de dependentes químicos, por estar mais próxima da população. Também explicou que sua equipe dividiu o município em três setores, cada uma incluindo quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS), estratégia que possibilitará maior capacidade de gestão, organização de projetos e resolutividade para as necessidades de cada região.

Alves chamou a atenção para o fato de o alcoolismo ser uma doença considerada problema de saúde pública e Santa Bárbara ser a cidade que mais interna alcoolista na região. Por isso, afirmou que a necessidade de se lidar com a doença é um problema coletivo. O propósito da Secretaria, segundo ele, é recuperar o alcoolista e o usuário de drogas, numa relação de processo terapêutico humanizado com as famílias. Assim, ações para melhora no tratamento e recuperação, campanhas, atividades em grupo, debates e conscientização foram apontadas como maneiras eficazes de acolher a questão.

Também foi discutida a formação do Conselho Municipal Sobre Drogas, que irá somar o trabalho de grupos que lidam com a recuperação de dependentes e que atendem às suas famílias, como o AA e o Grupo de Narcóticos Anônimos e ações de outros setores e secretarias. Será formado um programa com olhar individualizado e coletivo, que deve proporcionar uma relação pedagógica de co-produção e ressignificação do sujeito em tratamento. “Nós não estamos brincando. Estamos discutindo a política pública no município para efetivar o programa federal que é o SUS e vamos lidar com as dificuldades juntos, no processo”, disse Alves.
Autor: Seção Notícias
OBID Fonte: SB Notícias