Rotaviroses

O que é?

É uma doença diarréica aguda causada por um vírus do gênero Rotavírus. É uma das mais importantes causas de diarréia grave em crianças menores de 5 anos no mundo, particularmente nos países em desenvolvimento.

Quais os sinais e sintomas?

A forma clássica da doença, principalmente na faixa de seis meses a dois anos é caracterizada por uma forma abrupta de vômito, na maioria das vezes há diarréia e a presença de febre alta. Podem ocorrer formas leves nos adultos e formas que não apresentam sintomas na fase neonatal (recém-nascido) e durante os quatro primeiros meses de vida.

Como se transmite?

A rotavirose é transmitida pelo contato fecal-oral (fezes-boca), por contato pessoa a pessoa, através de água, alimentos e objetos contaminados. Há presença de alta concentração do vírus causador da doença nas fezes de crianças infectadas.

Como tratar?

O tratamento é baseado na reidratação do paciente – pode ser água, chá, água-de-coco, sucos ou isotônicos. Medidas simples de combate à desidratação, como o uso de soro caseiro, reduzem drasticamente o número de mortes. A desidratação é o sintoma mais grave das infecções intestinais provocadas pelo rotavírus. Além de reduzir as reservas de água do corpo, ela reduz os níveis de minerais importantes, como sódio e potássio. Não é recomendado o uso de medicamentos antimicrobianos e antidiarréicos.

Como se prevenir?

– Administrar a vacina contra rotavirus (VORH) em crianças menores de seis meses, de acordo com calendário de vacinas;
– seguir os cuidados com higiene pessoal e doméstica;
– lavar sempre as mãos antes e depois de utilizar o banheiro, trocar fraldas, manipular/preparar os alimentos, amamentar, manusear materiais/objetos sujos, tocar em animais.
– lavar e desinfetar as superfícies, utensílios e equipamentos usados na preparação de alimentos;
– proteger os alimentos e as áreas da cozinha contra insetos, animais de estimação e outros animais (guarde os alimentos em recipientes fechados);
– tratar a água para beber (por fervura ou colocar duas gotas de hipoclorito de sódio a 2,5% para cada litro de água, deixar repousar por 30 minutos antes de usar);guardar a água tratada em vasilhas limpas e de boca estreita para evitar a recontaminação;
– não utilizar água de riachos, rios, cacimbas ou poços contaminados;
– ensacar e manter a tampa do lixo sempre fechada; quando não houver coleta de lixo este deve ser enterrado;
– usar sempre a privada, mas se isso não for possível, enterrar as fezes sempre longe dos cursos de água;
– ter cuidado para não contaminar as fontes de água com fezes e lixo;
– manter o aleitamento materno aumenta a resistência das crianças contra as diarréias;
– evitar o desmame precoce.

Como preparar o soro caseiro:

Pegue um copo de 200 ml de água filtrada e fervida e dilua um punhado de açúcar e uma pitada de três dedos de sal; misture e prove. O soro não deve ser nem mais doce e nem mais salgado que água-de-coco ou lágrima.

IMPORTANTE
Somente um médico pode diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar medicamentos. As informações disponíveis possuem apenas caráter educativo.
Fonte: Ministério da Saúde www.saude.gov.br