Terapia Antitabagismo Tríplice é mais efetiva que terapia isolada, diz estudo

Um estudo comparou a eficácia da terapia antitabagismo isolada com a terapia combinada tríplice, em 127 fumantes adultos e portadores de doenças crônicas.

Metade dos participantes do estudo usou adesivos de nicotina e a outra metade, recebeu uma terapia combinada tríplice (nicotina sob a forma de adesivo, nicotina inalável e um antidepressivo, chamado de bupropiona). A nicotina inalável não está disponível no Brasil.

Na vigésima sexta semana do estudo, a taxa de cessação do tabagismo (definida como 7 dias sem fumar, confirmada pela prova do monóxido de carbono exalado) era significativamente maior no grupo da terapia tríplice em relação ao grupo da terapia isolada (35% versus 19%). A terapia tríplice, comparativamente a terapia isolada, também prolongou o tempo de recaída nos indivíduos que voltaram a fumar (65 versus 23 dias).

Os indivíduos que participaram do grupo da terapia tríplice, comparativamente aos da terapia isolada, apresentaram mais insônia (25% versus 9%) e ansiedade (22% versus 3%). A taxa de abandono do tratamento foi semelhante nos dois grupos (6%).
Autor: Seção Paciente
OBID Fonte: Portal do Coração