Os efeitos da percepção da qualidade das drogas sobre a aquisição de álcool e outras substâncias

Estudos científicos apontam que o preço (de álcool e de drogas ilícitas) é um fator importante na decisão de compra por usuários. Da mesma forma, especula-se que a percepção da qualidade da droga também influencie a compra, reduzindo a demanda quando é observada uma diminuição da qualidade.

Um estudo recente realizado em Liverpool, Reino Unido, com 80 usuários múltiplos de drogas, procurou elucidar essa questão através da manipulação da percepção da qualidade de algumas drogas (álcool, anfetamina, maconha, cocaína e ecstasy) e seu efeito em sua procura. Os participantes fizeram parte de uma simulação em que os valores das drogas foram fixados, variando-se sua qualidade, de tal forma que as drogas de “baixa qualidade” teriam um custo/benefício baixo (alto valor unitário) e as drogas de “boa qualidade” teriam um custo/benefício alto (baixo valor unitário). Quanto ao álcool, sua qualidade foi manipulada em termos do número de unidades de etanol presentes na bebida: “normal” (1 unidade de álcool por dose) e “forte” (2 unidades de álcool por dose).

Os resultados do estudo revelaram que a procura por álcool não foi modificada com possíveis variações de sua qualidade. Ainda, a redução da qualidade de álcool não causou sua substituição por outra droga, entretanto, o álcool foi considerado como a droga de escolha para substituir o uso de maconha, cocaína e ecstasy quando a qualidade dessas drogas foi alterada.

Assim, conforme os autores, a qualidade e o preço das drogas são os critérios utilizados pelos usuários para a decisão de compra. Logo, políticas destinadas à redução do uso de drogas pelo aumento de preço podem não alcançar uma redução da procura e das conseqüências associadas, mas sim, estimular um sistema de substituição de drogas. Aí entra o papel do álcool que pode substituir prontamente o uso de outras drogas, sem sofrer variação de uso com mudança da qualidade, situação que merece atenção das autoridades competentes em vista dos efeitos negativos e custos sociais (diretos e indiretos) advindos de seu uso crônico.

Título: The effects of perceived quality on the behavioural economics of alcohol,amphetamine, cannabis, cocaine, and ecstasy purchases

Autores: Jon C. Cole, Andrew J. Goudie, Matt Field, Anne-Claire Loverseed, Sarah Charlton, Harry R. Sumnall

Fonte: Drug and Alcohol Dependence

IF: 3,222
Fonte:CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool