Tratamento ajuda fumante a perder vontade de fumar

As opções para quem quer parar de fumar aumentam a cada dia. Além dos adesivos, o mercado oferece hoje até pastilhas de nicotina, em substituição ao cigarro. Os medicamentos antidepressivos também são indicados, mediante prescrição médica. Em todos os casos, porém, duas condições são primordiais: a vontade do paciente de parar e o acompanhamento médico.

Proibir fumo em local fechado ajuda a reduzir vício

A cardiologista Jaqueline Scholz Issa –coautora do livro “Sem Filtro – Ascensão e Queda do Cigarro no Brasil”– afirma que a melhor arma contra o tabaco é a informação. “O número de fumantes brasileiros caiu depois que o país passou a adotar campanhas e mensagens nos maços de cigarro. Nos casos mais graves, porém, é preciso tratamento médico para aliviar a fissura”, diz a médica.

Segundo a especialista, os fumantes sentem necessidade física de fumar. “É fissura, não vontade. Isso é que faz a pessoa acordar e correr para fumar. A dependência da nicotina só perde para a dependência da heroína.” O grau dessa dependência pode ser medido por um teste, que ajuda a direcionar o tratamento. As mulheres, segundo especialistas, têm mais dificuldade para largar o vício, já que elas utilizam com mais frequência o cigarro como uma válvula de escape.
Autor: Adriana Ferraz
OBID Fonte: Agora São Paulo