Campanha contra uso abusivo do álcool é lançada na Paraíba

Nos últimos anos, Lucena e outras cidades da grande João Pessoa, vêm assistindo o crescimento dos índices de violência, seja doméstica ou intra-familiar, causada pelo uso abusivo do álcool. No município de Lucena, cerca de 50 km de João Pessoa, 90% das crianças e adolescentes encaminhados pelo Ministério Público estadual e Juizado Especial da Infância e Juventude para a Casa Lar da Ong Apôitchá, são vítimas de famílias dependentes do álcool.

Com o objetivo de reduzir, pelo menos, em 50% essas estatísticas, a Apôichá, com o suporte da Terre des Hommes (Holanda), tomou a iniciativa de lançar na manhã desta quarta-feira (13), na comarca de Lucena, a campanha de erradicação da violência contra a criança e o adolescente causada pelo uso abusivo do álcool – “A Vida é Nossa Meta”. O evento aconteceu no Millenium Club e tem o apoio do Tribunal de Justiça da Paraíba, por meio da Coordenadoria da Infância e Juventude, e do Governo do Estado. A abertura oficial da campanha contou com a presença várias autoridades e especialistas no tema.

“O objetivo central da campanha é mobilizar e sensibilizar o poder público e a sociedade civil para a necessidade da construção de políticas públicas voltadas para o enfrentamento das consequências do uso abusivo do álcool”, comentou a coordenadora da campanha e da Apôitchá, Andréa Carrer Carvalho.

Ela acrescentou que por meio de debates, base de dados, oficinas de arte-educação de espetáculos temáticos, outdoors, materiais gráficos, peças de áudio e vídeo e ações conjuntas entre poder público e sociedade civil e cobertura da imprensa, “a campanha estimulará o diálogo e reflexão sobre a problemática do uso abusivo do álcool e sua relação com a violência contra a criança e o adolescente.”

Para a juíza da comarca de Lucena, Graziela Queiroga Gadelha de Sousa, a campanha deve ser estendida para todo o Estado. “Nós já estamos sentindo os efeitos práticos dessa campanha. A Secretaria Estadual de Educação mostrou real interesse em apoiar a expansão do projeto para as escolas públicas de todos os municípios paraibanos”, adiantou a magistrada.

Quem representou o secretário de Educação, Sales Gaudêncio, no lançamento da campanha foi a professora Dulce Magalhães. Em seu discurso ela reforçou as palavras da juíza. “Venho trazer a palavra do secretário. Ele afirmou que vai levar a campanha para todas as escolas da rede pública estadual.”

Também participaram do lançamento da campanha magistrados, promotores, prefeitos, vereadores, delegados e os moradores das comunidades de Fagundes, Gameleira, Estiva, da Guia e Carrapeta e dos municípios de João Pessoa, Santa Rita, Cabedelo e Bayeux.

Dados

Conforme a cartilha da Apoichá, só na cidade de João Pessoa, 64% dos estudantes de ensino fundamental e médio das escolas públicas já fizeram uso do álcool. Esse dado preocupa as autoridades, pois indica a facilidade do acesso ao álcool por esse público. Desses estudantes, 11,4% fazem uso frequente do álcool e 6,9% fazem uso pesado da droga. Os usuários dependentes têm uma forte tendência em abandonar os estudos.

Os grupos que mais sofrem violência são crianças (24%), mulheres adultas (24%), meninos adolescentes (12%), meninas adolescentes (11%). Entre as principais causas de violência identificadas pelos entrevistados encontram-se as drogas (34%), a falta de trabalho (25%) e o alcoolismo (25%). Cerca de 30% dos casos de lesões corporais registrados no mundo estão associados ao abuso no consumo de bebidas. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), essa proporção é ainda maior quando os traumas são causados por acidentes de trânsito.
Autor: Seção Paraíba
OBID Fonte: Paraíba Online