Tabagismo é doença mental

Principal causa evitável de morte no mundo, o hábito de fumar está associado a 5 milhões de mortes por ano e 200 mil vítimas só no Brasil.

Principal causa evitável de morte no mundo, o hábito de fumar está associado a 5 milhões de mortes por ano e 200 mil vítimas só no Brasil. Esses números, da Organização Mundial da saúde, representam o estrago gerado pela dependência em substâncias como a nicotina.

Segundo os especialistas, o vício é um transtorno psiquiátrico. “A medicina enxerga claramente que o tabagismo é uma doença mental. O vício está classificado dessa forma na listagem mundial de doenças”, comenta a psiquiatra e presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (Abead), Analice Gigliotti.

A especialista ainda alerta que quanto mais cedo um indivíduo torna-se tabagista, maiores são as chances da pessoa vir a desenvolver algum transtorno ou doença mental. “Nós sabemos, por exemplo, que 50% das pessoas que apresentam algum transtorno ou doença mental são fumantes”.

Para ela, apesar da diminuição do número de fumantes no Brasil, o atendimento prestado aos dependentes deve ser melhorado. “A maior parte dos que se mantiverem fumantes serão os que têm outro problema psiquiátrico, o que torna ainda mais difícil abandonar o vício”, explica.

Dia Mundial sem Tabaco – 31 de maio
Em 1987, a Assembléia Mundial de Saúde aprovou uma resolução determinando que a celebração do Dia Mundial sem Tabaco acontecesse, a cada ano, no dia 31 de maio. Desde então a Organização Mundial da Saúde (OMS) articula anualmente esta atividade, definindo um tema a ser abordado por seus 192 países membros.

O objetivo é colocar em evidência as diferentes interfaces e problemáticas do consumo de tabaco e engajar diferentes organizações, instituições e atores sociais na implementação de ações de controle do tabagismo. O tema definido para 2009 é “Advertências Sanitárias nas Embalagens dos Produtos de Tabaco”.

Estudos científicos comprovam que essas advertências motivam as pessoas a parar de fumar e reduzem o apelo ao uso do tabaco por aquelas que ainda não são dependentes. De acordo com um estudo do Inca (Instituto Nacional de Câncer), as imagens e as frases de alerta presentes nas embalagens de cigarro já fizeram com que 39,1% dos fumantes desistissem de pegar um cigarro, quando eles estavam prestes a fumar. O estudo também diz que as advertências levaram 67% dos fumantes a querer parar de fumar e 54% a mudar de opinião sobre os efeitos do tabagismo na saúde.

Simpósio sobre Tabagismo
Para marcar a data, a Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (Abead), em parceria com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e a Associação Psiquiátrica do Estado do Rio de Janeiro (APERJ), realizará o Simpósio Nacional sobre Tabagismo, que terá como tema central “Como diagnosticar e abordar o tabagismo em doentes mentais: da evidencia à prática clínica”. De acordo com as entidades, ao término deste evento, será publicado um relatório elaborado pelas três associações sobre tabagismo e doença mental. O encontro ocorrerá no dia 29 de maio, sexta-feira, no Auditório do Cremerj, no Rio de Janeiro/RJ.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)