Fumante pode largar vício com tratamento grátis

Quem fuma sabe. Parar não é tarefa fácil. Apesar de 9 em cada 10 fumantes do país se arrependerem de terem dado a primeira tragada, na capital 21% da população fuma –o maior índice entre as capitais brasileiras–, segundo pesquisas do Ministério da Saúde.

No Dia Mundial sem Tabaco, celebrado em maio, e com a nova lei antifumo no Estado, os tabagistas que desejarem parar podem tentar largar o vício sozinhos ou com auxílio profissional.

Na saúde pública, a maioria dos tratamentos é coletivo, com grupos que se reúnem periodicamente com acompanhamento profissional. Se necessário, os pacientes farão reposição de nicotina com adesivos e goma de mascar, além do uso de medicamento.

No Cratod (Centro de Referência em Álcool, Tabaco e outras Drogas), ligado ao governo estadual, as turmas começam com 40 pessoas, mas terminam depois de um mês com metade do público inicial. Diretora da unidade, a psiquiatra Luizemir Lago explica que essa desistência é normal. “Muitos nem chegar a fazer os exames.

Apesar disso, a médica afirma que, desde que o programa passou por uma reformulação, no fim do ano passado, a taxa de dependentes que abandonaram o vício aumentou, passando de 27% para mais de 50%. O tratamento, que levava cerca de um ano, agora é intensivo. Dura apenas um mês. “Para entrar, é preciso já ter tomado a decisão e estar convicto”, afirma.

A espera para o atendimento no Cratod, segundo Luizemir, é de cerca de dois meses. Antes de o intensivão ser adotado, chegava a demorar anos. Na Secretaria Municipal da Saúde, não há dados sobre quantas unidades já efetuam o tratamento em grupo.

“Tem que fazer a lei [antifumo], mas é preciso oferecer mais tratamento”, diz a médica Jaqueline Scholz Issa, diretora do Programa de Tabagismo do InCor, para pacientes do hospital. Segundo ela, o jovem tem mais facilidade de parar sozinho.

COMO PARAR DE FUMAR

Disque Saúde
0800-611997
Serviços de orientações do Ministério da Saúde que tem gravação com dicas e atendentes que dão informações sobre como buscar tratamento em qualquer cidade

PrevFumo
(11) 5904-8046
Ligado à Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), atende fumantes interessados em receber apoio profissional para deixar de fumar É preciso ligar antes e agendar uma avaliação, realizada sempre às sextas, com dez pacientes. Na sexta, a próxima data disponível era 13 de julho. O tratamento duas dois meses

Cratod (Centro de Referência em Álcool, Tabaco e Outras Drogas)
(11) 3329-4455
Rua Prates, 165 – Bom Retiro (região central)
É preciso ligar antes e agendar uma avaliação
Autor: Lívia Sampaio
OBID Fonte: Agora São Paulo