Número de bafômetros aumenta, mas ainda não é suficiente

O número de equipamentos para detectar embriaguez de motoristas em Goiás cresceu 66,7% em quase um ano de vigor da lei seca – completa-se no próximo sábado –, mas ainda é insuficiente, reconhecem as autoridades de trânsito. As projeções da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (PM) e Agência Municipal de Trânsito (AMT) apontam que seria necessário dobrar o número de equipamentos usados por seus policiais e agentes, que deveria passar de 37 para 79.

A Polícia Rodoviária Federal conta hoje com 25 bafômetros para fiscalizar uma malha de 3,1 mil quilômetros de rodovias em Goiás e tem como meta dotar cada um dos 50 veículos usados no policiamento de um bafômetro. O Batalhão de Trânsito possui 10 equipamentos e espera a entrega de outros 15. A AMT dispõe de apenas 2 bafômetros, número que seu presidente, Miguel Tiago, espera ver dobrado no segundo semestre, com a contratação de 100 novos agentes de trânsito. Batalhão de Trânsito e AMT têm sob sua fiscalização uma frota de aproximadamente 800 mil veículos.

Já o Batalhão Rodoviário conta com 35 aparelhos para quase 10 mil quilômetros de rodovias, número que seu comandante, o tenente-coronel Washington Luiz Alves Cavalcante considera satisfatório. “Com eles, é possível cobrir os 32 postos de fiscalização do Batalhão em todo o Estado”, observa o comandante. Ainda sobram três aparelhos que são destinados ao Tático Operacional Rodoviário (TOR) e às equipes de bloqueio e fiscalização de barreiras na entrada da capital.

No domingo, O POPULAR mostrou que houve crescimento no número de flagrantes de motoristas dirigindo embriagados depois de um ano de vigência da lei seca, mas menos de um por cento dos processos administrativos instaurados no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) resultou em suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Além disso, nenhum dos motoristas condenados pela Justiça por dirigir embriagado teve a CNH cassada no período.

“Estamos fazendo nossa parte e vamos continuar agindo com todo o rigor”, avisa o comandante do Batalhão de Trânsito da PM, tenente-coronel Lucimar de Oliveira Mesquita. No último ano, o batalhão recebeu dois novos bafômetros do Detran, por meio de convênio. Os policiais do Batalhão de Trânsito apreendem uma média de 15 CNHs de quinta-feira a domingo nas ruas da cidade, dias em que são mais comuns os flagrantes de condutores bêbados.

Os casos que caracterizam crime, quando a dosagem alcoólica excede o que é tolerado pela lei – acima de 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou 0,29 miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões –, são levados para a polícia. Os comandantes dos Batalhões Rodoviário e de Trânsito explicam que os policiais são orientados a levar os que se recusam a fazer o teste do bafômetro para o Instituto Médico-Legal (IML). O comandante do Batalhão Rodoviário apela para a conscientização dos motoristas.

Blitz

O presidente da AMT, Miguel Tiago, garante que os fiscais da agência vão continuar o trabalho de fiscalização para evitar que motoristas dirijam embriagados em Goiânia. “Só não admitimos armadilhas. Ninguém vai ficar na porta de bares à espera de quem sai para submeter ao teste”, resume. Ele não considera pequeno o número de bafômetros da AMT, mas admite que serão necessários pelo menos outros dois equipamentos.

A PRF espera para os próximos dias a entrega de novos bafômetros pelo Ministério da Justiça. “Esperamos em breve que todos os 50 veículos policiais contem com bafômetros”, diz o chefe do Núcleo de Comunicação Social da PRF em Goiás, inspetor Newton Morais de Souza. “Nos últimos quatro anos, eles têm sido peças extremamente importantes nas nossas ações”, reconhece.

O Detran abriu licitação para a compra de 30 bafômetros, que serão distribuídos em Goiânia e no interior. O diretor técnico do órgão, Horácio Melo Cunha Santos, espera que eles cheguem antes das férias de julho.
Autor: Carla Borges
OBID Fonte: O Popular