Prisões aumentam 17,3% no segundo semestre da Lei Seca em São Paulo

Segundo balanço divulgado nesta segunda-feira, as prisões passaram de 243 nos seis meses iniciais para 285 no segundo semestre –janeiro e junho deste ano. O balanço também mostra que no primeiro semestre de aplicação da lei 892 motoristas foram multados na cidade de São Paulo, enquanto no segundo semestre foram aplicadas 1.343 multas. Um aumento de 50,5%.

De acordo com o governo, em todo o Estado no primeiro semestre deste ano, ou segundo de aplicação da lei, o teste do bafômetro foi feito em 31.341 motoristas, destes 1.161 foram presos em flagrantes. Não há um balanço estadual com os números da lei seca nos primeiros seis meses de aplicação da lei porque, segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), não havia uniformização da coleta desses dados, o que foi feito somente a partir de dezembro de 2008.

Hoje, o governo do Estado apresentou os 55 carros e 20 motos para o policiamento de trânsito na cidade, comprados com verba de R$ 2,5 milhões da Prefeitura de São Paulo.

Menos vítimas

Segundo levantamento apresentado pelo governo hoje, a fiscalização da lei seca diminuiu o número de mortes nos acidentes de trânsito no Estado. De julho de 2008 a abril de 2009 foram 96.589 feridos em acidentes de trânsito, número que representa 23% menos vítimas que o mesmo período entre 2007 e 2008, com 125.765 ocorrências do tipo.

De acordo com o governo, foram 3.750 mortes no trânsito do Estado entre julho do ano passado até abril deste ano. No mesmo período anterior foram 4.029 –7,44% a mais.

Lei seca

A lei seca, que prevê maior rigor contra o motorista que ingerir bebidas alcoólicas, foi sancionada, no dia 19 de junho do ano passado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A nova lei torna ilegal dirigir com concentração a partir de dois decigramas de álcool por litro de sangue. A punição para quem descumprir a lei prevê suspensão da carteira de habilitação por um ano, além de multa de R$ 955 e retenção do veículo.

A suspensão por um ano do direito de dirigir é feita a partir de 0,1 mg de álcool por litro de ar expelido no exame do bafômetro (ou 2 dg de álcool por litro de sangue). Acima de 0,3 mg/l de álcool no ar expelido (ou 6 dg por litro de sangue), a punição inclui também a detenção do motorista (de seis meses a três anos).
Autor: Seção Cotidiano
OBID Fonte: Folha Online