Rodovias estão mais tranqüilas

O número de acidentes, feridos e mortos nas rodovias de Mato Grosso diminuiu entre o primeiro e o segundo semestre de validade da Lei Seca, que completa um ano amanhã. A redução foi de 4%, 17% e 12%, respectivamente.

Dados da Polícia Rodoviária Federal mostram que as mortes nas BRs do Estado já haviam sido reduzidas em 12% nos primeiros 6 meses de implantação da lei. De 20 de junho a 31 de dezembro de 2008, foram registrados 1.570 acidentes, com 1.069 e 123 mortes enquanto no segundo semestre da lei (de 1º de janeiro a 16 de junho de 2009) ocorreram 1.503 acidentes, que deixaram 880 pessoas feridas e 108 mortas.

Segundo informações da PRF, de 20 de junho a 31 de dezembro de 2007 (quando ainda não vigorava a lei) foram 141 óbitos no Estado. No mesmo período de 2008, com a implantação da lei, foram 123 mortes, 18 a menos. A queda registrada em Mato Grosso ficou acima da média nacional, que teve redução de 3% nos óbitos no primeiro ano de validade da lei. Por outro lado, o comparativo do mesmo período mostra que a quantidade de acidentes em Mato Grosso aumentou de 1.408 casos – no último semestre de 2007 – para 1.570 registros, nos últimos 6 meses de 2008. O montante representa 11% de acréscimo na quantidade de acidentes. (ver quadro)

Em todo o país, aumentou a quantidade de acidentes. No Brasil, entre 20 de junho de 2008 e 16 de junho de 2009, a PRF constatou redução de 2% no índice de mortes e de 3% no total de desastres com vítima fatal. Os acidentes e feridos, no entanto, aumentaram em 7% e 4%, respectivamente, notando que 62% das ocorrências provocaram apenas prejuízos materiais, sem que fosse necessária a mobilização de equipes de socorro médico.

A PRF destaca que após a implantação da Lei Seca os dados rodoviários são considerados positivos, uma vez que houve a diminuição nas mortes, apesar da quantidade de carros circulando em todo território nacional ter aumentado em 9,5%.

Com a lei, a fiscalização ficou mais rigorosa. Em um ano, mais de 14 mil motoristas foram flagrados embriagados. Destes, 9 mil foram presos. Nos primeiros 6 meses, cerca de 40 mil motoristas foram submetidos ao teste de alcoolemia. Em 2009, aproximadamente 320 mil condutores já sopraram o bafômetro. Segundo a PRF, a lei mudou o comportamento e ampliou a consciência dos motoristas nas rodovias federais. Em junho passado, a PRF registrava um flagrante de embriaguez a cada 6 testes realizados. Hoje, são necessários 40 testes para identificar um condutor embriagado. Atualmente, a ingestão de álcool é apontada como a oitava causa de acidentes nas BRs.
Autor: Raquel Ferreira
OBID Fonte: A Gazeta