Uso excessivo de remédios é a “peste bubônica” do nosso século, diz toxicologista

Cerca de 6 milhões de casos de intoxicação são registrados no Brasil a cada ano, segundo estimativas da OMS, a Organização Mundial da Saúde. O uso incorreto de medicamentos é a causa mais comum, seguida dos acidentes com produtos de limpeza. Quem afirma é o médico Anthony Wong, pediatra e diretor do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas da USP (Universidade de São Paulo).

Wong é um dos especilistas que participaram do livro “Viva com mais Saúde”, que acaba de ser lançado em comemoração ao aniversário de 75 anos da USP.

“É consenso mundial que uma das principais causas de doença é o uso excessivo de remédios ou de substâncias químicas; podemos dizer que essa é a peste bubônica do nosso século”, afirma o médico, em entrevista ao UOL Ciência e Saúde.

O toxicologista comentou a recente recomendação de um painel de especialistas da FDA (Food and Drug Administration), o órgão regulador de remédios nos EUA, para reduzir o limite máximo de ingestão diária de paracetamol (Tylenol é um dos produtos com a substância) de 4 gramas, para 2,6 ou 3 gramas.

Wong explica que o analgésico é muito associado a outros medicamentos, o que pode gerar problemas graves no fígado. “Se a pessoa tomar mais que três doses de bebida destilada, não deve consumir Tylenol”, alerta. Segundo ele, está sendo questionado inclusive o uso do remédio nos casos de dengue, já que essa doença também pode afetar o fígado.

“Qualquer remédio pode causar algum tipo de problema, mesmo os isentos de prescrição, como os antigripais, especialmente em crianças e idosos”, afirma.

O toxicologista também fala sobre os possíveis riscos de outros analgésicos, antiinflamatórios e remédios naturais (sim, eles também podem ser perigosos). Além disso, explica como as pessoas devem proceder em caso de ingestão acidental de produtos de limpeza, outra causa frequente de intoxicação.
Autor: Editoria Saúde
OBID Fonte: UOL Ciência e Saúde