Estado cria leitos para crianças com dependência química

Os primeiros leitos do Espírito Santo destinados à internação de crianças e adolescentes dependentes químicos estarão disponíveis a partir da próxima terça-feira, no Hospital dos Ferroviários, em São Torquato, Vila Velha. Além da internação, os pacientes e familiares vão ser atendidos por uma equipe multidisciplinar de profissionais, pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O investimento do governo do Estado é de R$ 1,8 milhão. Parte do valor vai custear 2.880 diárias anuais nos primeiros leitos.

Estarão disponíveis oito leito, já na próxima semana, e outros sete serão entregues em 60 dias. O Hospital dos Ferroviários passa a ser, então, referência para o tratamento de pacientes em estado grave dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e dos Centros de Tratamento de Toxicômanos (CTTs) do Espírito Santo.

Esse é o primeiro passo para a implantação do Projeto “Mais Leitos em Saúde Mental, Álcool e outras Drogas”, segundo o secretário de Estado da Saúde, Anselmo Tozi. “Nós queremos, não só com o jovem, mas também com a família, tentar trazê-lo de volta para que ele possa ser produtivo, estudar e conviver novamente em sociedade”, diz o secretário. Segundo ele, está em estudo a ampliação do atendimento para adultos.

Toda a internação será regulada pela Central de Regulação de Internação de Urgência (Criu), seguindo o fluxo determinado pelo Núcleo de Saúde Mental da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Crescimento

A coordenadora do Programa Estadual de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas, Inêz Torres, afirma que é crescente a demanda de pacientes que fazem uso de múltiplas drogas no Estado, na faixa etária de 20 a 24 anos. O número de internações desses pacientes é maior do que as de dependentes do álcool.

Nos dados levantados das internações psiquiátricas por álcool e outras drogas no período de 2001 a 2005, foi verificada a realização de mais de 400 internações por múltiplas drogas e menos de 200 por conta do álcool, na faixa etária de 20 a 24 anos.

Os dados mais recentes apontam que, em 2008, foi verificado um acréscimo no número de internações na mesma faixa etária. Foram 338 internações por múltiplas drogas em apenas um ano. E menos internações por conta do uso do álcool, totalizando 54. “Isso significa que crianças, adolescentes e jovens adultos estão em uma situação de muito mais risco em relação ao uso de múltiplas drogas, que incide também o álcool”, reforça Torres.

Unidade terá mais cinco salas de cirurgia

No Hospital dos Ferroviários, em Vila Velha, também serão construídos, até o final do ano, cinco novos centros cirúrgicos e serão disponibilizados mais 30 leitos para Angiologia. “Nós estamos estruturando uma resposta para os pacientes com problemas de angiologia, cirurgia vascular e cirurgia geral”, destaca o secretário de Estado da Saúde, Anselmo Tozi. Ele afirma que a iniciativa vai melhorar o fluxo do atendimento nos hospitais da Grande Vitória.

Não há opção de internação fora da rede particular

A falta de leitos para internação de crianças e adolescentes que sofrem de dependência química dificulta o trabalho realizado nos centros que oferecem tratamento gratuito para esses casos. Apesar de a indicação ser restrita aos casos mais graves, quando eles acontecem, não há opção fora da rede particular.

Em Vitória, cinco leitos seriam suficientes para atender à demanda de internação, segundo a coordenação do Centro de Prevenção e Tratamento de Toxicômanos (CPTT). Esse tipo de tratamento só é indicado por até 15 dias, e para síndrome de abstinência ou intoxicação.

Mesmo assim, há casos de pais, na Grande Vitória, que só conseguiram internar o filho adolescente no interior e num hospital particular. “Só se consegue em instituições privadas. Aqui temos o Hospital Infantil, mas eles não têm leitos para usuários de droga. É importante que o Estado ofereça essa possibilidade, mas esses leitos vão atender a toda a Grande Vitória”, afirma a enfermeira do Centro Maristher Sarmento Braga.

Desde que começou a ser oferecido, o tratamento para essa faixa etária no CPTT, 80 pessoas já foram atendidas. Hoje, cerca de 25 jovens são acompanhados. No início, eram casos de uso de tíner e maconha; hoje, são de dependência de crack.

Onde procurar ajuda

Em Vitória: Centro de Prevenção e Tratamento de Toxicômanos (CPTT)
Endereço: Rua Alvaro Sarlo, s/n, na Ilha de Santa Maria
Tel.: 3132-5105

Em Vila Velha:Centro de Atenção Psicossocial (Caps)
Endereço: Rua Castelo Branco, 1.841, Jaburuna
Tel.: 3239-9846 e 3239-9857

Em Serra: Centro de Atenção Psicossocial (Caps)
Endereço: Rua Beethoven, 156, Laranjeiras
Tel.: 3328-4137 e 3328-4745

Investimento

R$ 1,8 milhão. É o investimento do governo do Estado para implantação dos serviços de internação e atendimento para crianças e adolescentes usuários de álcool e outras drogas.
Autor: Melina Mantovani
OBID Fonte: A Gazeta